Grêmio homenageia jogadores negros na história do clube

Equipe gaúcha se opõe à discriminação cometida contra o goleiro Aranha, no último jogo entre as equipes, pela Copa do Brasil

O Estado de S. Paulo

30 de agosto de 2014 | 18h58

O Grêmio se pronunciou neste sábado sobre os comentários racistas de uma torcedora gaúcha para o goleiro Aranha durante a disputa contra o Santos pela Copa do Brasil. A equipe gaúcha colocou um vídeo no seu site oficial lembrando jogadores negros que participaram e foram ídolos da história centenária da equipe. Com o título 'Chega: Nossa história é tricolor', o material veiculado no canal oficial do clube no Youtube apresenta imagens dos jogadores e momentos históricos do time. O vídeo tem cerca de dois minutos.

Alguns ídolos são lembrados durante a mensagem, como Zé Roberto, Denner, Everaldo, que foi homenageado no passado com uma estrela no escudo da equipe, o autor do próprio hino do Grêmio, entre outros. Ronaldinho Gaúcho não aparece, apesar da história de amor e ódio com a equipe que revelou o jogador.

O vídeo é encerrado com a seguinte frase: "Nossa história centenária foi construída por pessoas. De todas as cores. Temos orgulho dessa história. Somos azuis. Somos pretos. Somos brancos. Chega. O Grêmio Foot-Ball Porto-Alegrense é contra qualquer discriminação."

O assunto veio à tona nesta semana porque um pequeno grupo de torcedores gremistas ofenderam o goleiro Aranha, do Santos, na partida de ida das oitavas da Copa do Brasil. O jogador foi chamado de 'macaco', entre outras ofensas. O caso foi parar na Justiça Criminal e Esportiva. O Grêmio corre risco de ser excluído da competição. Dez torcedores foram identificados, dois eram sócios do clube, e foram expulsos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.