Grêmio inicia fase de ?enxugamento?

Eliminado da Copa Libertadores da América, o Grêmio caiu na realidade do futebol brasileiro. Sem os prêmios da competição, vai vender e dispensar jogadores com a meta de reduzir sua folha salarial de R$ 1,5 milhão para R$ 700 mil. A perspectiva de vender Ânderson Polga, Fernando e Tinga dá ao clube a esperança de colocar o pagamento dos direitos de imagem dos jogadores em dia. Pablo Hernandez e Valdo serão dispensados. O contrato de Mauro Galvão vence no próximo dia 31 e não será renovado. E é provável que Fabio Baiano seja devolvido ao Flamengo porque o tricolor gaúcho não tem os US$ 2 milhões que deve ao clube carioca para poder ficar com o jogador.Antes de quarta-feira, quando perdeu a semifinal para o Olimpia, nos pênaltis, o Grêmio sonhava conquistar, além do tri na Libertadores, os US$ 2 milhões de prêmios da competição. O presidente José Alberto Guerreiro dizia que o dinheiro do título poderia viabilizar o restante do ano do clube.Além das mudanças no campo, o Grêmio também terá um novo vice-presidente de futebol, no lugar de José Otávio Germano, que sairá para concorrer a uma vaga na Câmara de Deputados. O nome mais cotado é do diretor de futebol Paulo Pelaipe. O técnico Tite será mantido, com a missão de dar ao time o padrão de jogo e a regularidade que não teve no primeiro semestre. Para suprir as vagas das prováveis ausências de Tinga e Fernando o clube vai apostar nos novatos Emerson e Adriano. O clube tem a intenção de contratar um zagueiro e um centroavante, desde que o negócio e os salários fiquem dentro de seus novos patamares financeiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.