Alex Silva/ Estadão Conteúdo
Alex Silva/ Estadão Conteúdo
Imagem Robson Morelli
Colunista
Robson Morelli
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Grêmio pode ser rebaixado hoje e se juntar a Cruzeiro e Vasco na Série B do Brasileiro

Empate em Itaquera com o Corinthians transforma sonho em pesadelo e queda depende de rivais Juventude e Cuiabá que jogam nesta segunda-feira

Robson Morelli, O Estado de S.Paulo

06 de dezembro de 2021 | 05h00

Se há algum orgulho para a torcida no Grêmio nesta temporada no Brasileirão, é a vontade de pelear, com Diego Souza afirmando em cadeia nacional que “nunca esteve morto”.

Atrasado em seus sentimentos e na bravura, o Grêmio chegou a sonhar em Itaquera, mas sucumbiu em lágrimas após o belo gol de Renato Augusto, devolvendo assim o empate de 1 a 1 ocorrido em 2007, por conta do então rebaixamento do Corinthians para a Série B.

O resultado na Neo Química Arena não emburra o Grêmio para o abismo, mas o deixa preso a uma corda prestes a se romper. Sim, o Grêmio está por um fio para ser rebaixado pela terceira vez em sua história.

Nas duas últimas partidas, contra rivais paulistas (São Paulo e Corinthians), o Grêmio achou um jeito de jogar. Se o campeonato tivesse algumas rodadas a mais e não estivesse no seu pôr do Sol, a equipe de Porto Alegre poderia ter melhor sorte, embora não mereça. O Grêmio está na Z-4 desde a segunda rodada do Brasileirão. Portanto, teve muito tempo para aprender a dançar conforme a música e não conseguiu ensaiar nenhum passo.

Fez tudo errado. Demorou para reagir. Teve uma gestão péssima. Seu elenco não foi à altura da sua história. Trocou de treinador e não conseguiu mudar esse cenário desenhado lá atrás, quando havia muito tempo para sair do buraco.

Pelear faz parte da história deste clube. Mas suas armas já não são mais suficientes para tirar o time da forca. Mesmo se ganhar sua última partida, a 38ª, contra o campeão Atlético-MG, em ressaca absoluta depois da festa da taça no Mineirão na vitória sobre o Bragantino ontem, terá de esperar pelos resultados dos rivais Juventude e Cuiabá, por exemplo. Pior. Se eles somarem pontos no complemento da 37ª jornada hoje (São Paulo x Juventude e Cuiabá x Fortaleza), a queda do Grêmio estará consumada. Chegaria aos mesmos 43 pontos de Bahia, que poderá escapar se ganhar do Fortaleza, dependo de combinação. Mas o Grêmio não mais. Ficaria com 43 pontos e se juntaria a Cruzeiro e Vasco na Série B de 2022. Triste fim anunciado.

Se tudo der certo para o Grêmio hoje, o clube tem mais uma partida para resolver seu futuro. Se não cair hoje, terá de superar o Atlético-MG na quinta e continuar torcendo contra seus rivais. Não há muito mais para se fazer. Pelear e rezar. Mas as rezas valem para todos.

Ganhar do campeão é tarefa das mais complicadas, mesmo dentro de sua casa. Para alento dos gremistas, o time de Minas está focado na decisão da Copa do Brasil diante do Atlhetico-PR. Muitos desses jogadores que fizeram a festa no Mineirão não vão estar no avião para Porto Alegre. Talvez nem Cuca embarque. O foco não é o Grêmio. Na última rodada, o Cuiabá vai encarar o Santos e o Corinthians mede forças com o Juventude. Ao Grêmio, o direito de pelear até o fim para, se cair, cair lutando.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.