Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Lucas Uebel/Grêmio FBPA
Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Grêmio poupa titulares e utiliza jogo contra o Palmeiras para dar ritmo a atletas

Renato Gaúcho escala equipe pensando na semifinal da Libertadores, no meio da próxima semana

Estadão Conteúdo

22 de outubro de 2017 | 07h54

Preocupado com a semifinal da Copa Libertadores, o Grêmio vai poupar os seus principais titulares para o jogo deste domingo contra o Palmeiras, na Arena Grêmio, às 17 horas, em Porto Alegre, pela 30.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

+ Palmeiras faz confronto direto contra o Grêmio na briga pelo título

As exceções vão ser a presença de Luan e Michel, além de Cristian, que estão recuperados de contusão e foram relacionados para ganhar ritmo para o confronto desta quarta-feira contra o Barcelona, de Guayaquil, no Equador, pelo primeiro duelo da semifinal da Libertadores.

O volante Michel e o atacante Luan, sobretudo, eram jogadores fundamentais antes de se contundirem. "Gostaria que tivéssemos mais jogos antes do dia 25 porque é importantíssimo dar ritmo para o jogador. Infelizmente veio uma bola de neve lá de trás, uma nuvem negra, mas ela está ficando para trás", comentou o técnico Renato Gaúcho.

A recuperação destes atletas não apenas deixa Renato Gaúcho confiante para enfrentar o Palmeiras, como também para a sequência da temporada. "Quanto mais fortes estivermos, mais opções eu vou ter. Nesse último jogo contra o Corinthians a equipe já foi diferente, com a presença do Luan. Então isto não me deixa apenas eu, Renato, otimista, mas o grupo todo. Resumindo: é muito importante a volta desses jogadores que estavam no departamento médico", apontou.

E o treinador pondera que não está mirando apenas a Libertadores. Para ele, é importante vencer o Palmeiras - adversário que tem os mesmos 50 pontos do Grêmio - para se manter na briga pelo título do Brasileirão, que é liderado pelo Corinthians, com 59. "O título está difícil? Sim. Está impossível? Não. Então vamos lutar".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.