Grêmio quer 'sangue nos olhos' por uma vitória em casa

O Grêmio convocou a sua torcida para a partida desta quarta-feira contra o Fluminense, às 22 horas, em sua arena, em Porto Alegre. O jogo tomou ares de decisão e vale pela quinta rodada do Grupo 8 da Copa Libertadores, liderado pela surpresa chilena Huachipato, com sete pontos - mesma pontuação dos cariocas, mas com saldo melhor - e um a mais do que os gaúchos.

AE, Agência Estado

10 de abril de 2013 | 08h17

O meia Zé Roberto pediu aos jogadores "sangue nos olhos" para vencer mais uma vez o Fluminense (no Rio de Janeiro, o Grêmio fez 3 a 0). O jogador disse que acredita na força da torcida, que esgotou os ingressos para a partida - serão 45 mil torcedores no estádio.

Após o treino desta terça, ele relembrou a decisão do Campeonato Brasileiro de 1996, quando ele estava na Portuguesa, enfrentou justamente o atual time na finalíssima e afirmou que ficou impressionado com os tricolores.

"Minhas pernas tremeram em 1996. Confesso que, quando eu entrei no gramado vendo 45 mil malucos gritando, minhas pernas balançaram. Quero os mesmos torcedores aqui desta vez. Uns mais velhos, juntos com os mais novos. Dizem que os ?malucos? são os torcedores do Corinthians. Hoje eu acho que não. Já enfrentei os dois. E os do Grêmio gritando, pressionando, fazem qualquer um tremer. É isso que eu espero. Quando se joga em uma Arena com a torcida assim, essa emoção, esse espírito, se tem tudo para conquistar o resultado", disse Zé Roberto.

Preocupado com o decisivo confronto, Vanderlei Luxemburgo fez mistério nesta terça ao fechar o treino do Grêmio. Ao vetar a entrada de jornalistas, o treinador manteve a dúvida sobre o substituto do meia Elano, suspenso para o jogo. Apesar do clima de suspense, é quase certo que Marco Antônio ficará com a vaga.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa LibertadoresGrêmio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.