Grêmio recebe proposta por Anderson

Não foi nesta terça-feira que o Grêmio vendeu o meia Anderson, de 17 anos, maior promessa de craque surgida no Olímpico depois de Ronaldinho Gaúcho. A primeira proposta oficial que o presidente Paulo Odone de Araújo Ribeiro ouviu foi do empresário Jorge Baidek, representando a Internazionale de Milão, que ofereceu 3,5 milhões de euros por 95% dos direitos federativos do jogador. O valor foi recusado por eqüivaler a menos da metade dos 7,5 milhões de euros que o clube gaúcho quer arrecadar com o negócio. O Grêmio espera agora por novos lances da própria Internazionale e do Palermo. A MSI, parceira do Corinthians, também pode entrar na disputa. Além de ter sido a salvação do time em muitas situações dentro do campo, Anderson também pode aliviar a vida dos administradores do Grêmio. Um deles, Túlio Macedo, admitiu nesta terça-feira que a situação do clube é ?praticamente falimentar?. Se conseguir os euros que quer pela venda do jogador, o Grêmio terá R$ 23 milhões para abater da dívida de curto prazo estimada em R$ 45 milhões. A dívida de longo prazo, de R$ 55 milhões, está refinanciada e não pressiona o caixa do clube diariamente. Nos treinos, Anderson procura aparentar tranqüilidade diante das indefinições. Repete o discurso que a maioria dos jogadores faz em situações semelhantes e diz que está concentrado em aprender o que o técnico Mano Menezes vem ensinando para melhorar seu desempenho em campo. Também recusa o rótulo de salvador do clube. ?Não é problema meu?, ressalta, referindo-se à dificuldade administrativa do Grêmio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.