Lucas Uebel/Grêmio
Lucas Uebel/Grêmio

Conselheiro do Grêmio é baleado depois de jogo e clube repudia briga

Clube lamenta incidente após confronto com o Juventude, que teve confronto entre organizadas

Redação, Estadão Conteúdo

25 de março de 2019 | 13h38

A direção do Grêmio se pronunciou nesta segunda-feira sobre os incidentes de violência ocorridos nos arredores do Alfredo Jaconi, enquanto era disputado o duelo de ida das quartas de final do Campeonato Gaúcho contra o Juventude, domingo, em Caxias do Sul. Um confronto que envolveu membros de torcidas organizadas deixou o conselheiro Bruno Pisoni Garcia baleado no rosto.

"O Grêmio FBPA vem a público lamentar mais uma vez que episódios como o ocorrido ontem durante o jogo Juventude e Grêmio, na saída do Estádio Alfredo Jaconi, envolvendo membros de torcidas organizadas, maculem o nome de nossa instituição, os princípios do futebol, e vão de encontro aos valores do clube", afirmou o clube em nota oficial.

"O Grêmio baliza sua conduta de acordo com padrões éticos, sociais e morais, sobretudo no que diz respeito à preservação e segurança da vida humana. Ao conselheiro Bruno Pisoni Garcia, nosso desejo de pronta recuperação", acrescentou a direção do time no comunicado.

A confusão se deu na rua onde está localizado o setor de acesso da torcida visitante ao Alfredo Jaconi. De acordo com a Brigada Militar, o autor do disparo e um outro torcedor que recebeu a arma, foram detidos.

A direção gremista agora promete aguardar os próximos passos da investigação para adotar possíveis medidas institucionais. "O Grêmio aguardará o resultado da investigação e verificará providências, se for o caso, de condutas que infrinjam regulamentos do clube", concluiu o clube em sua nota oficial.

Dentro de campo, o Grêmio goleou o Juventude por 6 a 0 e praticamente selou a sua classificação às semifinais do Campeonato Gaúcho, o que buscará sacramentar na quinta-feira, quando os times vão duelar em Porto Alegre.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.