Grêmio sonha com façanha para superar o Cruzeiro

O Grêmio enfrenta seu maior desafio neste ano diante do Cruzeiro, nesta quarta-feira, às 21h50, em Belo Horizonte, no jogo de ida das semifinais da Copa Libertadores da América. O time terá de provar que tem méritos na boa campanha que fez até agora contra adversários de menor tradição e superar as históricas dificuldades que passa no Mineirão, onde não vence o adversário há 11 anos.

AE, Agencia Estado

24 de junho de 2009 | 08h03

A própria torcida demonstrou nas últimas semanas que não tem plena confiança no potencial do grupo tricolor porque o time foi mal no Campeonato Gaúcho, está patinando no brasileiro e sofreu para eliminar o Caracas e avançar na Libertadores.

Apesar da cautela dos torcedores, os diretores, o técnico Paulo Autuori e os jogadores acreditam que o Grêmio vai crescer justamente por encarar um jogo clássico e decisivo. Todos reconhecem que a missão é difícil, mas afirmam que podem conquistar a classificação. "Tradição todos têm, o resultado será determinado pelo que cada um fizer em campo", afirmou Autuori, que não se apega a retrospectos para projetar o jogo.

O lateral esquerdo Fábio Santos prevê clima de final e entende que se o Grêmio sair de Belo Horizonte com um bom resultado, ficará com boas chances de ganhar a vaga em casa. O atacante argentino Maxi Lopez diz que a garra que o time demonstrar poderá fazer a diferença.

O técnico Paulo Autuori não tem problemas para escalar o time. Fora o goleiro Victor, que está na seleção brasileira, todos os titulares do momento podem participar do jogo. A única dúvida que existia foi esclarecida depois do treino desta terça. O atacante Alex Mineiro vai jogar, enquanto Herrera ficará como opção no banco de reservas.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa LibertadoresGrêmio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.