Grêmio vai reduzir direitos de imagem

O presidente do Grêmio, José Alberto Guerreiro, e o novo vice de futebol do clube, Rudi Armin Petry, começam a negociar negociar nesta terça-feira a redução dos direitos de imagem dos jogadores. Informações extra-oficiais indicam que o clube quer limitar os pagamentos mensais a cada jogador a um teto de R$ 50 mil. Guerreiro já disse que não quer perder ninguém, mas avisou que os jogadores terão de aceitar as novas regras. Ou seja, quem não se enquadrar na nova realidade vai procurar outro clube para o Campeonato Brasileiro.O clube também espera obter receita com a transferência de alguns de seus atletas. A expectativa de interesse de clubes europeus por Anderson Polga, Tinga e Fernando ainda não se confirmou. O artilheiro da Libertadores, Rodrigo Mendes, pode ir para o Dínamo de Kiev, na Ucrânia. O Grêmio paga R$ 1,3 milhão por mês aos seus atletas de salários - que não podem ser reduzidos - e direitos de imagem. Espera, com as negociações, cortar R$ 600 mil dos gastos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.