Grêmio vence Nacional por 1 a 0

O Grêmio, num jogo difícil, venceu o Nacional do Uruguai por 1 a 0, nesta quarta-feira, em Porto Alegre e largou na frente nas quartas-de-final da Copa Libertadores da América. Agora precisa só de um empate, na próxima quarta-feira, dia 15, em Montevidéu, para passar às semifinais. O técnico Tite, na terça-feira, já havia previsto as dificuldades. O Nacional veio fechado, na defesa e dali saía muito pouco para tentar o gol nos contra-ataques. Bem marcado por uma equipe disposta a não levar gols, o Grêmio não sabia como criar jogadas de ataque. Bem posicionados à frente da zaga, os dois volantes Pellejero e Oscar Morales nada permitiam aos atacantes do time gaúcho. Rodrigo Mendes e Luizão não conseguiram nenhuma conclusão perigosa ao gol de Munua. Quando tinham alguma vantagem, esbarravam em mais dois marcadores: os sempre atentos zagueiros Lembo e Rodriguez. O Grêmio voltou com a mesma formação para o segundo tempo. Como tudo continuou igual até os dez minutos, ele tirou Rodrigo Mendes e colocou Luiz Mário em seu lugar para, com sua velocidade, criar as jogadas que o Grêmio não teve em toda a primeira etapa. E foi isso o que realmente aconteceu. Rápido, o atacante "infernizou" a defesa do Nacional com suas arrancadas pelos flancos e na diagonal, tentando explorar o talento de Luizão nas jogadas de conclusão. O gol da vitória, no entanto, só saiu aos 31 minutos, após a entrada de Fábio Baiano e Rodrigo Fabri. Logo em suas primeiras participações, eles construíram o 1 a 0: Fabio Baiano fez um lançamento para Fabri que, da entrada da área, chutou forte, surpreendendo Munua, que ainda tocou na bola. O Nacional sentiu o golpe mas, mesmo assim, foi ataque com Mendez, que substituiu Varela e teve duas grandes chances de empatar: aos 40 e 43 minutos. Não conseguiu e deu razão ao técnico Tite, de que a vitória de 1 a 0 já seria um grande resultado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.