Arquivo/AE
Arquivo/AE

Grêmio visita Caracas por vantagem na Copa Libertadores

Time gaúcho espera vencer ou pelo menos marcar gols, pensando no jogo de volta do duelo pelas quartas

EFE

26 de maio de 2009 | 13h35

O Grêmio joga nesta quarta-feira contra o Caracas no Estádio Olímpico da capital venezuelana, às 21h50 de Brasília, precisando de um bom resultado para ficar mais perto da vaga na semifinal da Copa Libertadores. Os gaúchos estrearão na competição sul-americana o técnico Paulo Autuori, que já comandou a equipe na vitória de 2 a 0 sobre o Botafogo do último domingo em Porto Alegre, pelo Campeonato Brasileiro.

Veja também:

link Paulo Autuori diz que Grêmio precisa evoluir

Copa Libertadores 2009 - tabela Calendário / Resultados

especialLibertadores: leia mais no canal especial

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Campeão da Libertadores pelo Cruzeiro em 1997 e o São Paulo em 2005, o treinador não sabe muito sobre o adversário, mas disse que o Caracas representa bem a evolução do futebol venezuelano nos últimos anos. "O avanço do futebol venezuelano é notável. Jogaremos contra um rival que é complicado em casa, mas queremos ter a iniciativa e conseguir um resultado para avançar no torneio", explicou Autuori.

Após um voo de aproximadamente oito horas, a delegação do Grêmio chegou a Caracas na noite de segunda-feira.

Para o meia Tcheco, capitão da equipe, um empate com gols será um bom resultado: "Aí nós faremos prevalecer a vantagem no Estádio Olímpico", disse o jogador antes do embarque.

 CARACAS
Renny Vega; Lucena, Rey, Barone e Cichero, Vera, Jiménez, Figueroa e Jesús Gómez; Castellín e Rentería (Prieto).
Técnico: Noel Sanvicente
 GRÊMIO
Víctor; Léo, Rafael Marques e Réver; Ruy, Adílson, Tcheco, Souza e Fábio Santos; Jonas e Maxi López.
Técnico: Paulo Autuori
Árbitro: Roberto Silvera (URU)

Estádio: Olímpico, em Caracas (VEN)

Horário: 21h50

TV: SporTV 2

O meia comentou que os gaúchos respeitarão o adversário, mas reconheceu conhecer pouco do elenco comandado pelo treinador argentino Noel Sanvicente. "Nós não temos muita informação além dos vídeos. Marcelo Rospide (que estava como treinador interino) viajou para observá-los. Sabemos que é um time rápido e que a grama do estádio não é boa. Mas isso ocorre na Libertadores e estamos preparados", ressaltou.

O departamento médico liberou o zagueiro Réver e o meio-campo Souza, que saíram de campo lesionados contra o Botafogo.

O Grêmio tentará manter os 100% de aproveitamento fora de casa: venceu os quatro jogos, inclusive o das oitavas contra o Universidad San Martín, do Peru. Já os venezuelanos têm desempenho oposto.

Por sua vez, os donos da casa tentam surpreender e fazer história, pois se classificaram pela primeira vez para as quartas do torneio. O time vem de eliminar o Deportivo Cuenca, do Equador.

O técnico Noel Sanvicente afirmou que todo o elenco está muito concentrado em conseguir um resultado importante em casa e disputar o jogo de volta das quartas com mais chances de classificação. "O Grêmio é um rival de muita tradição e temos muito respeito por ele, assim como com todos os que enfrentamos na Libertadores", apontou.

Uma das mudanças em relação ao time que goleou o Cuenca por 4 a 0 na partida de volta será a entrada do atacante Rafael Castellín, que cumpriu suspensão por ter levado cartão vermelho no jogo de ida. O volante Edgar Jiménez, já recuperado de uma lesão, deve formar o setor com Luis Vera, mas o mexicano Gerardo Torres e Bremer Piñango também podem entrar.

O único desfalque é o goleiro Javier Toyo, que fraturou um dos dedos e não jogou as últimas partidas do time. Vega, titular da seleção venezuelana, será seu substituto.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa LibertadoresGrêmioCaracas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.