Lucas Uebel/ Grêmio Fbpa
Lucas Uebel/ Grêmio Fbpa

Gremista Edílson critica fala de Jô, mas admite: 'Também faria o gol de mão'

Vitória do Corinthians fez o Grêmio ficar distante da briga pelo título nacional

Estadão Conteúdo

18 de setembro de 2017 | 20h42

O gol de Jô marcado com a mão e não visto pela arbitragem deu a vitória por 1 a 0 ao Corinthians diante do Vasco no último domingo. Para o Grêmio, tratou-se de um prejuízo imensurável, já que a equipe não fez sua parte, caiu diante da Chapecoense em casa e viu a distância para a liderança crescer para 10 pontos. Mesmo assim, o lateral gremista Edílson viu com naturalidade a atitude do atacante corintiano e criticou apenas suas declarações após a partida.

"Eu acho que eu também faria o gol de mão, sim, como aconteceu. Só acho que todo mundo viu e não tem como dizer que não aconteceu. Em um jogo importante, o cara tem a chance de fazer o gol de mão e vai se acusar? É muito difícil, envolve muita coisa. Então, não adianta eu responder algo que eu nunca passei. Eu acho que o Jô só foi errado ao não ter assumido que bateu na mão", declarou nesta segunda-feira.

Leia Também

Página do Grêmio

O gol de Jô se tornou a principal polêmica desta segunda-feira e fez com que o atacante fosse alvo de críticas de outros profissionais do futebol. Edílson, porém, disparou apenas contra a arbitragem, em especial o auxiliar que estava ao lado do gol e não viu a irregularidade no gol do atacante alvinegro.

"Eles (Corinthians) acabaram sendo ajudados nesta rodada, mas a gente espera que agora, com o árbitro de vídeo, isso não aconteça mais. Nem falo do Jô, o árbitro que estava atrás do gol é que tinha que fazer a sua função e não fez. O Jô se acusar ou não, isso é de cada um. Cada um tem seu ponto de vista", avaliou.

Passada a rodada do fim de semana e a decepção com mais um tropeço no Brasileirão, o Grêmio pensa apenas na Libertadores, já que decide uma vaga na semifinal diante do Botafogo na quarta-feira, em casa. Depois de um empate por 0 a 0 no Rio, o time da casa precisa vencer por qualquer placar para avançar.

Na partida de ida, Edílson saiu sentindo dores lombares e foi poupado diante da Chapecoense. Mas o lateral garantiu que estará em campo na quarta. "Estou bem, 100% para este jogo. E mesmo se não estivesse, por ser quartas de final da Libertadores, acho que jogaria do mesmo jeito", afirmou.

As dúvidas, então, ficam por conta do zagueiro Pedro Geromel e do atacante Luan, que se recuperam de problemas físicos. Ambos foram relacionados para a partida, mas a definição sobre a presença deles em campo deve acontecer somente momentos antes do apito inicial.

"Querer jogar, todos querem. É o jogo do ano para a gente, quartas de final de Libertadores, estádio lotado. Esperamos o ano todo por jogos desses, decisivos. Todo mundo gosta de jogar. Mas eles tiveram lesões musculares, diferentes da minha. Estão se tratando em três períodos diariamente, o que mostra a vontade deles. E se tiverem 1% de chance, sei que eles vão fazer o melhor para irem a campo", disse Edílson.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolGrêmio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.