Lucas Uebel|Divulgação
Lucas Uebel|Divulgação

Gremistas lançam campanha de estátua para Renato, que apoia: 'Pedi ao presidente'

Torcedores tentam arrecadar R$ 80 mil para construção do monumento

Estadao Conteudo

17 Fevereiro 2017 | 18h42

Que a modéstia sempre passou longe de Renato Gaúcho, todo mundo já sabia, mas nesta sexta-feira ele veio a público defender a construção de uma estátua em sua homenagem no Grêmio. O treinador aderiu à campanha de alguns torcedores e revelou que inclusive já pediu o tributo ao presidente do clube, Romildo Bolzan.

Em meio à celebração do título da Copa do Brasil do ano passado, Renato brincou ao dizer que merecia uma estátua no Grêmio. A declaração motivou um grupo de torcedores, que se mobilizou para transformar a homenagem em realidade. Eles tentam arrecadar R$ 80 mil para a construção do monumento.

"Eu fico muito feliz (pela campanha), até porque eu já pedi para o presidente. O dinheiro não é problema. Os R$ 80 mil levantamos rapidinho. A torcida, eu digo. A minha parte eu já fiz, de ter dado o título. O problema é o conselho, junto com a diretoria, aceitar essa estátua. Eu, de minha parte, voto que sim, mas são eles que mandam no clube", declarou.

Apesar do tom descontraído, Renato falou sério quando o assunto foi os problemas do Grêmio com lesões em 2017. Depois de Douglas, que passou por cirurgia e ficará seis meses afastado dos gramados, o elenco tricolor já perdeu Edílson, Pedro Rocha, Beto da Silva, Jael e Luan por contusões. Isso sem contar a saída de Walace, negociado no fim da janela de transferência com o Hamburgo.

"Não estou assustado, mas isso prejudica o trabalho. Não tínhamos ninguém no departamento médico, e agora temos vários jogadores importantes, até mesmo a cirurgia do Douglas. Eu não tenho medo de nada, confio no meu grupo, mas é de se pensar. Temos vários jogos. Então fica difícil. Começa a espremer. Você bota um time em campo, daqui a pouco um dos jogadores também pode se machucar. Espero que ninguém mais se machuque e que os lesionados voltem o mais rápido possível", comentou o treinador.

Mais conteúdo sobre:
Grêmio futebol Renato Gaúcho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.