Gripado, Ricardinho preocupa o Santos

Ricardinho corre contra o tempo para se recuperar da gripe e não ser mais um desfalque importante para o técnico Oswaldo de Oliveira no jogo desta quinta-feira, contra a LDU, em Quito. O capitão do Santos foi poupado do treino de terça para não tomar chuva e, conseqüentemente, piorar a sua situação. E nesta quarta, durante o embarque de delegação santista no aeroporto de Cumbica, ele estava com o rosto inchado e olheiras, numa demonstração de que a noite não tinha sido bem dormida."Tive bastante febre", contou Ricardinho, com a voz rouca e nariz vermelho. "Ficar com gripe é complicado. São dois ou três dias assim. Mas estou procurando descansar o máximo possível e cuidar desse resfriado, junto com o doutor, para que não piore. Vamos ver o que acontece até a hora do jogo."Ricardinho é peça-chave no esquema de Oswaldo de Oliveira e a sua ausência complicaria de vez a cabeça do treinador, que já se vira com o que tem para suprir a falta do lateral Léo. "Além da gripe existe uma série de coisas que pesam bastante. A altitude, o desgaste normal do jogo... Mas essa é uma partida extremamente importante para nós. Tenho que ver como essa gripe vai estar amanhã", disse o jogador.O discurso de Ricardinho é claro. Ele nem pensa em ficar de fora desse confronto contra a LDU. Nem que para isso precise enfrentar a gripe e a febre para entrar em campo. "Jogo de Libertadores é diferente de tudo. Independentemente de o Santos ter jogado duas vezes contra a LDU ano passado, o preparo tem de ser o melhor possível. É mais um jogo na altitude e temos de buscar o melhor resultado."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.