Grondona confirma Sabella como técnico da Argentina

O presidente da Associação de Futebol Argentino (AFA), Julio Grondona, confirmou que Alejandro Sabella será o novo técnico da Argentina, após a demissão de Sergio Batista na última segunda-feira. O dirigente revelou que o anúncio oficial do treinador irá ocorrer logo após o acerto dos detalhes da rescisão contratual do ex-comandante da seleção do país.

AE, Agência Estado

28 de julho de 2011 | 10h18

O dirigente anunciou a escolha por Sabella na última quarta-feira em entrevista para a emissora de rádio Rivadavia, de Buenos Aires, na qual prometeu: "Amanhã (quinta), vamos falar sobre como as coisas estão acontecendo. Assim que o contrato de Batista for encerrado, avançaremos com Sabella e o anunciaremos".

Grondona destacou que a escolha pelo ex-técnico do Estudiantes foi feita após uma decisão da Comissão de Seleções da AFA, e ele acredita que o nome terá bons índices de aprovação na Argentina e também fora dela. "Não acredito que (Sabella) seja mal visto pelo público e nem no mundo do futebol", opinou.

Outro técnico que era cotado para assumir o cargo, Carlos Bianchi, ex-Boca Juniors e Atlético de Madrid, foi totalmente descartado por Grondona nesta quarta-feira. O dirigente, inclusive, revelou que um dia já tentou a contratação do treinador, mas enfatizou que hoje a relação entre os dois não é boa.

"Fui atrás dele (Bianchi) duas vezes após a Copa de 1998 e ele me disse ''não''. Depois, deu algumas declarações de que não gostei. Ele disse coisas que fazem com que seja muito difícil que possamos nos olhar na cara", admitiu.

O argentino Gerardo Martino, que dirige a seleção paraguaia e não confirmou se seguiria no cargo após a disputa da última Copa América, também estava entre os possíveis nomes cotados para assumir a Argentina, mas também foi descartado.

Sabella, de 56 anos, ganhou o título da Copa Libertadores sob o comando do Estudiantes em 2009 e no ano seguinte conduziu o time à conquista do Torneio Apertura do Campeonato Argentino. Ao assumir a seleção do seu país, ele irá recusar uma proposta para treinar o Al Jazira. Ele, inclusive, tinha sua presença esperada nos Emirados Árabes na última quarta e era nome certo para o lugar de Abel Braga, que deixou o clube para assumir o Fluminense.

O novo técnico assumirá a seleção argentina logo depois de o país fracassar em casa na tentativa de conquistar o seu 15.º título da Copa América, feito que foi garantido pelo Uruguai no último domingo. Os uruguaios, por sua vez, eliminaram os argentinos nas quartas de final da competição continental.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.