REUTERS/Lindsey Wasson
REUTERS/Lindsey Wasson

Grupo antiasiático ataca ginasta campeã olímpica com spray de pimenta nos EUA

Sunisa Lee foi medalhista de ouro no individual geral nos Jogos Olímpicos de Tóquio, além de conquistar prata e bronze por equipes e nas barras assimétricas, respectivamente

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de novembro de 2021 | 20h08

A ginasta norte-americana Sunisa Lee, medalha de ouro no individual geral na Olimpíada de Tóquio, afirmou, nesta quinta-feira, que foi alvo de ataques de um grupo antiasiáticos e foi atingida com spray de pimenta e calúnias racistas em Los Angeles.

O ataque foi feito quando a atleta, juntamente com amigos - todos descendentes de asiáticos - estava esperando um motorista de aplicativo, após uma festa. Uma pessoa dentro de um carro gritou frases ofensivas e lançou um spray de pimenta.

"Eu estava tão brava, mas não havia nada que eu pudesse fazer ou controlar porque eles fugiram. É muito difícil porque eu não queria fazer nada que pudesse me colocar em apuros, eu só deixei acontecer", disse a campeã olímpica.

Com o título olímpico, Lee se tornou um dos símbolos do esporte contra a xenofobia, pois ela nasceu nos Estados Unidos e é filha de imigrantes. Foi a primeira atleta da etnia hmong a conquistar uma medalha em olímpíadas.

O número de crimes de ódio dirigidos a asiáticos nos Estados Unidos aumentou nos últimos anos. De acordo com um estudo da Universidade da Califórnia o aumento de casos foi de 150% em 2020.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.