Grupo de Gouvêa tenta mudar eleição

O grupo do presidente Marcelo Portugal Gouvêa, que concorre à reeleição, vai tentar cassar nesta quinta-feira liminar conseguida pela oposição, quedetermina para sábado, às 15 horas, a realização do pleito. A cúpula do clube aposta que a votação será realizada no dia 30,como estava programada antes de o caso ter ido parar na Justiça. Se a situação obtiver sucesso e a eleição ficar mesmo para o dia 30, Gouvêa praticamente assegurará a vitória, pois nesta data não há nenhuma chance de os antigos conselheiros, eleitos em 2000, participarem da escolha do presidente para o próximo biênio, pois o mandato terá acabado. Votarão, assim, os novos conselheiros, eleitos no dia 3, entre os quais Gouvêa tem ampla preferência. Caso contrário, a briga entre Gouvêa e José Carlos de Mello Dias, candidato da oposição, ficará bastante equilibrada. Por enquanto, vale a decisão do juiz Carlos Henrique Abrão, da 42ª Vara Cível de São Paulo, que determina eleição para sábadoe com a participação dos antigos cardeais. ?Estou sabendo por comentários, mas ainda não recebi nenhuma notificação sobreessa decisão do juiz?, afirmou Gouvêa, irritado com o imbróglio. Oficialmente, o mandato de Gouvêa terminou na segunda-feira. Ele continua no cargo de forma interina até o dia da eleição. Segundo Luiz Zveiter, presidente do STJD, o São Paulo não corre risco de ser punido caso o presidente assine algum documento. A hipótese foi levantada por causa do problema envolvendo a diretoria do Paysandu no ano passado, que resultou na perda de pontos da equipe no Campeonato Brasileiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.