Guarani ainda não perdeu a esperança

O Guarani está às portas da Série B do Campeonato Brasileiro, tem míseros 43 pontos, ocupa a vice-lanterna, não consegue vencer duas partidas seguidas há mais de um ano, conta com o pior ataque da competição e, para evitar a queda iminente, precisa vencer suas últimas três partidas e ainda torcer por uma combinação de resultados. Mesmo assim, ainda há no clube quem queira repisar o velho discurso de que "nada está perdido". Alguns jogadores e o técnico Jair Picerni tentam manter o otimismo, mesmo com o time tendo apenas 2% de chances de não ser rebaixado. "A nossa situação não é das melhores, mas enquanto houver esperança, estaremos lutando. Sabemos que, de qualquer forma, iremos entrar para a história do clube: ou por evitar o rebaixamento ou por cairmos", disse o goleiro Jean, um dos poupados pela torcida por suas grandes atuações. "Está difícil, mas não podemos desistir. Temos é que nos concentrar nos três jogos que faltam e torcer para que os resultados dos outros times nos favoreçam", declarou o volante Careca. Jair Picerni, por sua vez, tem procurado motivar o elenco e diz que cada jogo será vivido como uma autêntica decisão, na qual o título de "rebaixado" ninguém quer ganhar. "Ainda temos chance. Conseguimos vitórias importantes nos últimos jogos, apesar dos tropeços. Só que, mais uma vez será o jogo da nossa vida", desabafou. Contra o Figueirense, no próximo sábado, no Brinco de Ouro, em Campinas, o Guarani terá três mudanças em relação à formação que perdeu por 1 a 0 para o Botafogo-RJ, fora de casa, na rodada anterior. O zagueiro Thiago e o lateral-esquerdo Patrick voltam depois de cumprir suspensão nos lugares, respectivamente, de Nenê e Mariano. Mas o atacante Evandro Roncatto deixa o time porque recebeu o terceiro cartão amarelo e pode ser substituído por Netinho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.