Guarani busca maior entrosamento

Para conseguir um maior entrosamento entre seus jogadores, o técnico Hélio dos Anjos, do Guarani, já decidiu que vai manter no amistoso de amanhã, contra a Portuguesa, a mesma formação que venceu o Internacional, por 3 a 0, sábado. A estratégia é simples: evitar mudanças para aprimorar o conjunto.Embora ainda espere receber mais alguns reforços para a disputa do Campeonato Brasileiro, o técnico sabe que vai ter que escalar os atuais jogadores do elenco para iniciar a competição, a partir do dia 1º de agosto, quando recebe o Palmeiras, no estádio Brinco de Ouro.O jogo contra a Portuguesa será o sexto amistoso preparatório do Guarani, que tem um saldo positivo: duas vitórias, três empates e apenas uma derrota. "Neste momento os resultados são menos importantes. Vale muito a movimentação e a disposição que passam aos jogadores", explica o técnico, que aposta no novo quadro psicológico do time. O Guarani ainda vive debaixo da sombra da péssima campanha no Campeonato Paulista, quando acabou rebaixado para a Série A-2.Para este jogo são certos três desfalques. O zagueiro Edu Dracena e o atacante Cléber estão machucados e só devem voltar aos treinos na próxima semana. O atacante Zé Carlos, sentindo dores musculares, continua sendo poupado para evitar o aparecimento de qualquer lesão muscular. Existe ainda uma dúvida na lateral direita, onde o titular Luciano Baiano está fortemente gripado e pode ser substituído por Rafael. O mais provável time para começar o amistoso em Campinas (às 15h), é este: Gilberto; Ernani, Glauber e Sangaletti; Luciano Baiano (Rafael), Fausto, Henrique, Renato e Jadílson; Marcinho e Fumagalli.A diretoria garante que continua atrás de mais três reforços pedidos pela comissão técnica. O presidente José Luiz Lourencetti garantiu que praticamente definiu a vinda de mais um zagueiro e outro volante, mas não revelou nomes. Otacílio, do Corinthians, Cocito e Donizete Amorim, ambos do Atlético-PR, são cotados. Élder, volante do Santos, também está na lista. Eduardo Marques, meia do Santos, é o preferido para a posição. A diretoria negou também a possível ida do atacante Zé Carlos para o São Paulo. O jogador teria sido oferecido por seu empresário e procurador, Luis Taveira, o mesmo que ofereceu o técnico Levir Culpi ao Corinthians quando ele ainda dirigia o próprio São Paulo, criando um grande mal estar entre os dois clubes no final do ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.