Guarani busca parcerias para quitar salários atrasados

Estima-se que o elenco profissional do clube paulista, que terminou a disputa da Série C, tem dois meses de pagamentos a receber

Estadão Conteúdo

15 de outubro de 2014 | 21h49

Três dias após iniciar oficialmente os trabalhos no Guarani, o presidente Horley Senna corre contra o tempo para quitar os salários atrasados. Nos próximos dias, a diretoria deve se reunir com possíveis parceiros e patrocinadores para quitar os débitos considerados mais urgentes.

Estima-se que o elenco profissional que terminou a disputa da Série C esteja com dois meses de salários vencidos. Em compensação, os funcionários estariam com quatro meses de salários a receber, o que é considerado ainda mais grave porque a média salarial é baixa.

Durante a Série C, o Grupo Magnum chegou a socorrer o clube, pagando salários e premiação. O presidente Senna, porém, negou que a contrapartida tenha sido a aquisição de direitos de jogadores. "A informação não procede. Foi uma medida emergencial e nem chegamos a discutir as garantias", explicou.

Desde que tomou posse na segunda-feira, o mandatário do time campineiro oficializou Lucas Andrino como superintendente de futebol e Sérgio do Prado como direito de futebol. A expectativa é renovar com o técnico Marcelo Veiga e, só então, discutir a montagem do elenco.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolGuaranisal[arios

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.