Guarani busca saída para crise

Lanterna do Campeonato Brasileiro da Série B, com apenas um ponto em três jogos, e sob o forte impacto da goleada sofrida para o Paulista, por 4 a 0, o Guarani busca uma saída para a crise. Mas sua diretoria já admite que vai mesmo lutar contra um novo rebaixamento, agora para a Série C. Num clima tenso no Estádio Brinco de Ouro, os dirigentes se reuniram, nesta segunda-feira, em dois períodos. O clube continua, sem sucesso, atrás de reforços que são pedidos claramente pelo técnico José Carlos Serrão: "Nosso elenco carece de qualidade". Mas a voz do técnico já não é tão respeitada no clube depois deste começo ruim, com um empate e duas derrotas. A primeira medida a ser tomada nesta semana será de dividir o elenco, com quase 40 jogadores, em dois grupos. Um treinaria com Flamarion, auxiliar-técnico, para a Copa Federação Paulista de Futebol, enquanto outro ficaria concentrado na Série B. Não está descartada a hipótese de alguns dispensas.As vindas e idas, porém, são meras especulações. Os zagueiros Paulo André e João Leonardo estariam aguardando propostas oficiais para deixar o clube; o volante Careca tenta a liberação de multa rescisória para acertar com o Paraná. Precisando de um artil heiro, a diretoria sonha com Sandro Gaúcho, do Santo André, mas não dispõe de R$ 150 mil para sua liberação e espera pelo "sim" de Finazzi, valorizado depois de ser o artilheiro do Paulistão, com 17 gols.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.