Guarani começa semana na mesma crise

O Guarani começou a semana mergulhado na mesma crise de alguns dias atrás. O técnico Joel Santana continua por um fio e a diretoria prepara uma lista de dispensas para a próxima semana, após o término do Campeonato Paulista. A situação, portanto, é parecida. Os dirigentes demonstram insatisfação, são pressionados pela torcida e prometem mudar, mas não tomam nenhuma atitude mais prática. Hoje o dia foi de folga geral no estádio Brinco de Ouro, aliviando a pressão um dia após a derrota em casa para o Santos, por 3 a 0. O técnico continua "prestigiado" e promete corrigir as falhas do time durante a semana para o jogo contra o Santo André, na despedida no Paulistão. "Vamos traçar os planos em busca de novos objetivos, uma vez que estamos fora do Campeonato Paulista", diz o técnico, indicando que sua prioridade é a Copa do Brasil, onde o Guarani tem jogo marcado com o América Mineiro, em Belo Horizonte, dia 17, valendo pela segunda fase da competição. O técnico também espera ter apoio da diretoria para reformular o elenco com vista ao Campeonato Brasileiro. Se ainda há incerteza sobre o futuro do técnico e também a respeito de possíveis reforços, alguns nomes parecem com força para deixaram o elenco. Entre eles, o centroavante Viola, que marcou um gol em oito jogos. Ele só fez contrato de três meses por um valor total de R$ 135 mil. O meia Alexandre, ex-Atlético-MG e Botafogo-RJ, também foi reprovado. O mesmo vale para outros menos cotados, como o lateral Júnior Barbosa, o argentino Liberman e o atacante Ludemar. O meia Albertinho já foi liberado na semana passada por problemas disciplinares.

Agencia Estado,

08 de março de 2004 | 18h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.