Guarani define Paulínia como sede na Série A2 paulista

Gramado do Brinco de Ouro da Princesa vai passar por reformas

Agência Estado

15 de janeiro de 2014 | 21h25

CAMPINAS - Como o gramado do estádio Brinco de Ouro da Princesa vai passar por reformas para receber a seleção da Nigéria durante o período da Copa do Mundo, o Guarani se viu obrigado a escolher um novo estádio para mandar os jogos do Campeonato Paulista da Série A2. Após vistoria da Federação Paulista de Futebol (FPF), na última terça-feira, no estádio Luiz Perissonoto, Paulínia será a casa bugrina.

O estádio possui laudos do Corpo de Bombeiros, da Vigilância Sanitária e da Polícia Militar, mas o Guarani estuda fazer pequenas mudanças como a construção de uma arquibancada móvel para os visitantes e também camarotes especiais, esse último em parceria com a Ambev.

Um problema que poderia vetar o local é o fato do estádio ter capacidade máxima para cinco mil pessoas e o regulamento da FPF exige que a capacidade mínima seja de 15 mil. No entanto, o presidente Álvaro Negrão garante que o Coronel Marinho, Chefe de Arbitragem e Segurança da entidade, vai abrir essa exceção ao Guarani.

"O Coronel Marinho disse que por se tratar de um motivo como a Copa do Mundo, eles estariam aceitando a possibilidade de jogar em um estádio menor. Ele nos garantiu que o Guarani não correrá nenhum risco de ser prejudicado nos tribunais", afirmou o mandatário alviverde.

A estreia do Guarani na Série A2 acontece no próximo dia 26 contra o Velo Clube, em Rio Claro. Como as reformas no Brinco de Ouro devem começar na semana que vem, o clube campineiro dificilmente mandará algum jogo em Campinas.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolGuarani

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.