Guarani/site oficial
Guarani/site oficial

Guarani demite o técnico Umberto Louzer e faz 'faxina' no departamento de futebol

Na semana passada, o presidente do clube anunciou que gostaria de manter o treinador, mas nesta terça-feira, mudou de ideia

O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2018 | 19h28

A caça às bruxas começou no Brinco de Ouro da Princesa. Uma semana depois de declarar a intenção de manter Umberto Louzer para a próxima temporada, o presidente Palmeron Mendes Filho anunciou nesta terça-feira a saída do treinador. E o departamento de futebol do Guarani ainda sofreu mais mudanças.

Um dos principais responsáveis pela montagem do elenco que conquistou o título da Série A2 do Campeonato Paulista e fez uma campanha irregular na Série B do Brasileiro, o superintendente de futebol Luciano Dias foi demitido. Deixaram o clube também o auxiliar Caio Autuori e o preparador físico Felipe Celia, que chegaram sob indicação do agora ex-dirigente bugrino.

As dispensas fazem parte do processo de reestruturação pelo qual o clube vai passar para a próxima temporada e os nomes dos substitutos devem ser definidos apenas após a votação das propostas de congestão, que acontece no fim de novembro.

"Dando início aos trabalhos visando o Campeonato Paulista da Série A1 de 2019, nós conversamos com a comissão técnica liderada por Umberto e Luciano Dias. Entramos em um comum acordo para encerrar o ciclo. Ciclo esse que foi muito vitorioso, deu alegria aos torcedores", anunciou o presidente.

PASSAGEM MARCANTE - Umberto Louzer vinha trabalhando como auxiliar técnico, mas recebeu uma oportunidade em janeiro após a saída inesperada de Fernando Diniz, que aceitou uma proposta do Atlético-PR durante a pré-temporada. Efetivado pela diretoria, o treinador conquistou 25 vitórias, 13 empates e 16 derrotas.

 

No primeiro semestre, conquistou o título da Série A2 do Campeonato Paulista e levou o Guarani de volta à Copa do Brasil. A campanha irregular ao longo da Série B fez Umberto Louzer ser alvo de críticas de alguns torcedores. Mesmo assim, o time brigava por uma vaga no G4 até o mês passado, mas uma sequência ruim de resultados fez com que chegasse nas últimas duas rodadas apenas cumprindo tabela.

"Não tenho nenhum tipo de mágoa, sou agradecido pela oportunidade. Tive a oportunidade de começar a carreira em um clube com uma rica história e pelo qual passaram grandes profissionais. Os números mostram que o trabalho foi bem desenvolvido. Claro que a gente almejava coisas melhores", comentou o treinador.

O comandante deixa o comando do Guarani com o time na nona colocação da Série B, com 50 pontos. O Avaí, quarto colocado, soma 57. Na próxima rodada, com Fumagalli como interino, o time campineiro pega o Brasil de Pelotas no sábado, às 17 horas, no estádio Bento Freitas, no Rio Grande do Sul.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.