Guarani diz que pagou por erro da CBF

O Guarani está fora da Copa do Brasil de 2003. O julgamento realizado hoje no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), manteve o resultado da 1ª Comissão Disciplinar, da semana passada, que havia dado ganho de causa ao Vila Nova-GO. Desta vez, a derrota do time paulista no tribunal foi por 4 a 1. Não há mais recurso da decisão. O time goiano, agora, enfrenta o Cruzeiro pela Copa do Brasil nesta quarta-feira, às 21h40, no Mineirão, em Belo Horizonte, pela terceira fase. Toda a confusão começou quando a documentação do volante Leandro Guerreiro foi encaminhada pela CBF, de forma equivocada, à Federação Paulista de Futebol, quando deveria ser protocolada na entidade do Rio de Janeiro. Aproveitando-se da falha da CBF, que admitiu o erro, o Vila Nova entrou na justiça pedindo os pontos do jogo. E ganhou. Segundo o vice-presidente jurídico do Guarani, Luís Célio Pereira de Moraes Filho, a documentação do jogador era para estar legalizada desde o dia 4 de fevereiro, quando o clube deu entrada com a papelada. "Não consigo entender como isso pode acontecer. Fizemos tudo de maneira correta e, por um erro da CBF, nós é que temos que pagar?", questionou o advogado. O julgamento foi acompanhado pelo presidente José Luiz Lourencetti, que, outra vez, deixou a sessão inconformado. "Infelizmente tudo é decidido na base da política. O Guarani pagou por um erro que não cometeu", lamentou. O clube, porém, não pretende entrar na Justiça Comum, o que poderia acarretar sanções da FIFA. Em Campinas, o técnico Pepe aguardava com ansiedade a decisão do tribunal. Ele tinha praticamente definido o time no treino da manhã, sem o zagueiro Paulão e o volante Emerson, suspensos. Em seus lugares entrariam, respectivamente, Nenê e Leandro Guerreiro. A delegação viajaria para a capital mineira nesta quarta-feira, às 7h50. O técnico, porém, promete acompanhar atentamente o jogo entre Cruzeiro e Vila Nova, uma vez que o time mineiro será o próximo adversário do Guarani pelo Campeonato Brasileiro, sábado, às 18 horas, em Campinas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.