Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Guarani e Atlético-PR: empate sem gols

Guarani e Atlético-PR proporcionaram, neste sábado à tarde, no Estádio Brinco de Ouro, em Campinas, um dos piores jogos do Campeonato Brasileiro da Série A. Mostrando um futebol burocrático, com excesso de passes no meio-de-campo, e com os dois técnicos demonstrando medo de atacar, o empate sem gols foi justo. O resultado não amenizou a crise do Guarani, que pode demitir o técnico Joel Santana. Os times estão com cinco pontos cada. Talvez contagiados pela baixa temperatura, os times entraram em campo bem frios. O Guarani no esquema 4-4-2, tentando as triangulações pelos dois lados do ataque, mas pecando pela falta de velocidade. O Atlético, bastante desfalcado, fez a opção por um esquema defensivo, no 4-5-1 armado pelo técnico Levir Culpi. Mas as chances de gols foram raras, o que irritou o pequeno público presente ao estádio. Não bastasse a fragilidade dos times, o juiz Luis Antônio Silva Santos, do Rio, fora de forma, acompanhou os lances bem de longe. Aos 42 minutos do primeiro tempo, o meia Bruno Lança, do Atlético, sofreu um corte na cabeça que sangrou bastante. Tanto que ele foi encaminhado para o vestiário, mas curiosamente retornou para a etapa final após receber quatro pontos. Uma demonstração de valentia. Em campo, os técnicos tentaram melhorar seus times. Joel Santana, pressionado pela diretoria, tirou Luiz Fernando para colocar Harrison mais à frente ao lado de Viola. Assim, Alexandre passou a atuar no meio-de-campo, mas ainda sem nenhuma inspiração. O Atlético reforçou sua marcação com a entrada de Raulen no lugar de André Luís. A partir dos 25 minutos, a torcida perdeu a paciência e começou a vaiar. Nervoso, o time campineiro continuava errando passes e cometendo faltas. O time paranaense se aproveitou deste momento ruim, tendo domínio territorial do jogo. Só aos 35 minutos, o Guarani ameaçou numa jogada individual de Viola, que matou a bola no peito e chutou forte para a boa defesa do goleiro Cléber. O mesmo Viola criou ainda uma segunda grande oportunidade, aos 42 minutos, quando mandou a bola no travessão. Mesmo assim foi muito pouco para uma tarde fria. Na próxima rodada, o Guarani vai enfrentar o Corinthians, em São Paulo, dia 15, enquanto o Atlético atuará no mesmo dia, em casa, contra o Santos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.