Guarani é punido por briga entre as torcidas organizadas do clube

Clube terá de pagar multa de R$ 10 mil e jogar duas vezes com portões fechados no Brinco de Ouro por causa de confusão em maio

Estadão Conteúdo

07 de agosto de 2014 | 21h17

Nesta quinta-feira, o Guarani foi punido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por conta de uma briga envolvendo a sua torcida na partida contra o Madureira, no dia 3 de maio, pela segunda rodada da Série C do Campeonato Brasileiro.

Durante a partida, que terminou empatada por 1 a 1, duas torcidas organizadas do próprio clube, a Guerreiros da Tribo e a Fúria Independente, brigaram entre si dentro do estádio Décio Vitta, em Americana (SP), já que o Brinco de Ouro não podia ser usado por conta de reformas.

A princípio, o clube teria que pagar uma multa de R$ 30 mil à CBF, além de cumprir dois jogos com portões fechados. A multa acabou sendo reduzida para R$ 10 mil, porém o pedido para diminuir o número de partidas sem torcida não foi aceito.

No próximo domingo, o Guarani encara o São Caetano pela 10.ª rodada da Série C com a presença da torcida no Brinco de Ouro, a última antes da punição entrar em vigor. A tendência é que o clube enfrenta o Juventude, na 13.ª rodada, e o Duque de Caxias, na 15.ª, já sem com os portões fechados.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolGuaranijulgamentoSTJD

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.