Guarani fica sem o 'tobogã' do Brinco de Ouro para a decisão da Série C

Bugre precisa reverter vantagem construída pelo ASA na ida

Estadão Conteúdo

05 Outubro 2016 | 21h00

A esperança do Guarani em contar neste sábado com a presença de torcedores na parte superior das arquibancadas do Brinco de Ouro, conhecida como tobogã, acabou. Embora as obras estejam praticamente prontas, não há tempo hábil para a liberação por parte do Corpo de Bombeiros. O time, portanto, vai ter um número menor de torcedores para o confronto decisivo contra o ASA, no jogo de volta das quartas de final do Campeonato Brasileiro da Série C.

Como perdeu em Arapiraca por 3 a 1, o time campineiro precisa vencer por 2 a 0 sábado, às 18h30, em Campinas. Por isso, a diretoria contava com a liberação de mais seis mil lugares no tobogã. Apesar da correria dos últimos dias, somente na terça-feira a direção conseguiu enviar ofício aos Bombeiros para vistoriar e aprovar a obra de reforma iniciada há 20 dias. Isso, porém, demanda um prazo de 10 a 30 dias.

Desta forma, o clube deve colocar à venda apenas 12 mil ingressos, atual capacidade do estádio. Se o tobogã fosse liberado, o total de ingressos poderia chegar até os 20 mil torcedores.

O técnico Marcelo Chamusca se concentra nos trabalhos com o time. Ele sinalizou que pode fazer mudanças pontuais para o segundo jogo, mas aposta na postura de seus jogadores para reverter a vantagem a seu favor. Se não eliminar o ASA, o Guarani fica fora das semifinais e da Série B em 2017.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.