Guarani garante que pode surpreender

O Guarani vive a expectativa de apagar as fracas campanhas dos últimos anos e surpreender neste Campeonato Brasileiro. Apesar do otimismo dos dirigentes, o elenco ainda é reduzido e precisa de vários reforços para chegar no ponto esperado. Enquanto aguarda os reforços, a torcida aposta no carisma do experiente técnico José Macia, o Pepe, de 68 anos, que na véspera da estréia assumiu o cargo no lugar de Giba. O mais importante, porém, é que o clube, após dois anos de turbulências, conseguiu zerar seu déficit e vai trabalhar dentro de uma previsão orçamentária mensal de R$ 800 mil. Com pagamentos em dia, a diretoria faz contas para chegar entre os oito primeiros colocados. E promete, ainda, alguns reforços ao longo da disputa. Nenhum, porém, vai participar da estréia contra o Vasco da Gama, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas. Por enquanto, só o volante Rafael, emprestado pelo Rio Branco, foi confirmado como novidade. Ele tem 22 anos, cobra faltas e já passou por Grêmio e Gama, mas não conseguirá fortalecer o time sozinho. "Vamos ter mais três ou quatro reforços", garante o gerente de futebol Neto Ferreira, deixando esperançoso o técnico Pepe, pela terceira vez à frente do time campineiro. Mas ele precisará colocar à prova toda sua experiência de dezenas de conquistas para elevar a posição do Guarani, que tem uma diretoria exigente, que não se satisfez com a sexta posição no Campeonato Paulista. Talvez até pela tradição do clube, que costuma ir muito bem em competições nacionais. Foi o primeiro campeão brasileiro do interior, em 1978, e duas vezes, em 1986 e 1987, vice-campeão. A realidade, no entanto, foi diferente nos últimos dois anos, quando escapou do rebaixamento com dificuldades. Futebol não se vive de passado, mas de resultados. Time-base - Jean; Patrício, Paulão, Bruno Quadros e Gilson; Emerson, Rafael, Marquinhos e Esquerdinha; Lúcio e Wagner. Técnico: Pepe.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.