Guarani mantém série ruim e perde para Paysandu em Belém pela Série B

Time de Campinas abre o placar no começo do jogo, tem jogador expulso e leva virada

Redação, O Estado de S.Paulo

26 de setembro de 2017 | 23h45

O Guarani segue em queda livre na Série B do Campeonato Brasileiro. Nesta terça-feira à noite, o time campineiro chegou ao quinto jogo sem vitória ao perder para o Paysandu, por 2 a 1, de virada, no Estádio da Curuzu, em Belém (PA), pela 26.ª rodada.

Com apenas uma vitória em 11 jogos, os paulistas despencaram para o 13.º lugar, com 33 pontos, sendo ultrapassado pelo próprio Paysandu, que tem a mesma pontuação, mas leva vantagem no saldo de gols (1 a -4).

A novas postura e escalação do Guarani acabaram dando resultado. Em sua primeira subida ao ataque, o time campineiro abriu o placar, logo aos quatro minutos. Depois de cruzamento de Lenon pela direita, Bruno Nazário foi preciso na cabeçada de não deu chances para Emerson.

O Paysandu tentou reagir logo em seguida, mas Vagner apareceu bem para evitar o empate aos 12 minutos. Depois de cobrança de falta, o camisa 1 bugrino apareceu duas vezes para defender finalizações de Rodrigo Andrade e Marcão.

Aos poucos, o time paulista foi recuando e o time da casa se sentiu a vontade para chegar ao campo de ataque. Bérgson assustou em finalização de fora da área, mas o empate veio em cobrança de pênalti. Aos 28 minutos, Guilherme Santos arrancou pela esquerda e foi puxado por Lenon. A arbitragem viu pênalti. Na cobrança, Bergson venceu Vagner, que chegou a tocar na bola, e deixou tudo igual.

Os paraenses esboçaram uma pressão antes do intervalo, mas não conseguiram balançar as redes. Se no primeiro tempo, o Guarani usou os minutos iniciais para balançar as redes, no segundo, os primeiros giros do relógio foram cruéis. Isto porque logo aos quatro minutos, Salomão cometeu falta dura, tomou o segundo amarelo, e acabou expulso.

Apesar da inferioridade numérica, o time visitante conseguiu se segurar bem, chegando a arriscar alguns contra-ataques, sem sucesso. O Paysandu não conseguiu controlar a ansiedade por ter um jogador a mais e acabou errando em demasia no campo de ataque, facilitando as coisas para a defesa bugrina.

Sem sucesso no campo de ataque, o Paysandu resolveu fazer pressão apostando nas jogadas de bola aérea. Vagner fez o que pode parar evitar o segundo gol defendendo cabeçadas de Diego Ivo e Marcão. Aos 36 minutos, porém, ele não pode fazer nada e os paraenses conseguiram a virada. Depois de cobrança de escanteio de Guilherme Santos, Diego Ivo subiu entre os zagueiros adversários e desviou de cabeça no canto baixo da meta bugrina, sem chances de defesa. O Guarani ainda tentou reagir, mas com um a menos ficou difícil.

O Paysandu volta a campo contra o Juventude, na próxima sexta-feira, às 21h30, no estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul (RS). No sábado, o Guarani recebe o Criciúma, às 19 horas, no Brinco de Ouro, em Campinas (SP).

FICHA TÉCNICA

PAYSANDU 2 X 1 GUARANI

PAYSANDU  - Emerson; Ayrton, Perema, Diego Ivo e Guilherme Santos; Augusto Recife, Nando Carandina (Jhonnatan), Rodrigo Andrade (Magno) e Diogo Oliveira (Juninho); Bergson e Marcão. Técnico: Marquinhos Santos.

GUARANI - Vagner; Kevin, Ewerton Páscoa, Diego Jussani e Salomão; Baraka, Evandro e Bruno Nazário (Gabriel Leite); Rafael Silva (Léo Rigo), Eliandro e Paulinho (Caíque). Técnico: Marcelo Cabo.

GOLS  - Bruno Nazário, aos quatro, e Bergson, de pênalti, aos 28 minutos do primeiro tempo. Diego Ivo, aos 36 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO -  Igor Junio Benevenuto (MG)

CARTÕES AMARELOS  - Rodrigo Andrade (Paysandu); Paulinho, Salomão e Vagner (Guarani)

CARTÃO VERMELHO - Salomão (Guarani)

RENDA - R$ 47.150,00

PÚBLICO  - 4.245 total

LOCAL - Estádio da Curuzu, em Belém (PA).

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.