Guarani não abre mão de Picerni

De olho em ampliar o planejamento para toda a temporada de 2003, a diretoria do Guarani pretende corrigir uma distorção dentro de sua comissão técnica. O objetivo é acertar o contrato do técnico Jair Picerni até dezembro, uma vez que o seu acordo vence em junho. As negociações já estão adiantadas e podem ser finalizadas nos próximos dias. O clube também pretende com isso afastar outros clubes que demonstram interesse nos serviços do treinador. Nos últimos meses ele rejeitou propostas de vários times, como Cruzeiro e Palmeiras, além de ter ser nome envolvido em vários clubes como Atlético-PR, Internacional-RS e, mais recentemente, ser incluído até na lista do rebaixado Botafogo-RJ. Sem contar uma sondagem e a indicação para comandar a seleção do Peru nas Eliminatórias da Copa do Mundo. O acerto envolveria também a permanência do auxiliar Jair Squarizzi, o seu fiel escudeiro. No âmbito de reforços, o zagueiro Paulão, do Juventude, está contratado. E o acordo com o meia Lúcio, do Cruzeiro, também parece definido. O atacante Rodrigão, do Botafogo-RJ, foi descartado e as atenções para o comando de ataque ficaram para Taílson, do Jundiaí, e Dimba, do Gama. Nesta terça-feira o clube assinou contrato com seu novo patrocinador de camisas. O acordo com a Medial Saúde garantirá ao clube R$ 85 mil por mês, num contrato anual de R$ 1 milhão, além de mais R$ 300 mil em 2003 em benefícios a funcionários e jogadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.