Guarani: oposição tenta impeachment

Enquanto o time do Guarani se prepara para enfrentar o líder Santo André, no sábado, às 16 horas, para sair da zona de rebaixamento da Série B do Campeonato Brasileiro, continua agitado o clima político no Brinco de Ouro. Na segunda-feira à noite, a diretoria driblou a oposição, que exige a saída do presidente José Luiz Lourencetti, numa reunião extraordinária do Conselho Deliberativo. A sessão aconteceu na segunda-feira à noite, onde a maioria se manifestou contra às mudanças propostas no estatuto do clube. Alegando problemas particulares, o presidente em exercício do Conselho Deliberativo, José Célio de Andrade, esteve ausente e foi substituído por Fernando Pereira, primeiro secretário. A reunião acabou em confusão já que a pauta era para se discutir apenas as mudanças no estatuto, mas alguns conselheiros presentes queriam que fosse discutido o impeachement do presidente José Luís Lourencetti. Alheio à discussão, o técnico Luiz Carlos Ferreira segue preparando o time. Ele deve manter a mesma base que empatou sem gols com a Anapolina, em Anápolis (GO). Ele terá à sua disposição o atacante Vágner Carioca, recuperado de contusão. O atacante foi contratado há três semanas junto ao Criciúma, mas ainda não estreou. O volante Marcos Paulo segue vetado com dores na virilha. O zagueiro Andrei que se apresentou na segunda-feira, disse que precisa de dez dias para recuperar a forma física. O volante Rodrigo Sá ainda não regularizou sua situação com o clube campineiro. O Guarani é o 13.º colocado, somando 13 pontos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.