Guarani perde mando e pode decidir Série C do Brasileiro com portões fechados

Bugre é punido por confusões no Brinco de Ouro em jogo do acesso

Estadão Conteúdo

19 Outubro 2016 | 23h19

Independente do resultado, o Guarani fará o seu último jogo na temporada no estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas (SP), neste domingo, às 21 horas, contra o ABC, pelas semifinais do Campeonato Brasileiro da Série C. Isso porque em julgamento no Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), nesta quarta-feira, no Rio, o time perdeu um mando de campo, com portões fechados, pelas confusões ocorridas na partida do acesso, quando bateu o ASA por 3 a 0, além de uma multa de R$ 22 mil.

A partida, realizada no último dia 8, foi marcada por diversas infrações disciplinares. No campo de ocorrências, na súmula do árbitro goiano Elmo Alves Resende Cunha, consta que aos 37 minutos do segundo tempo o gandula Alexandre Batista Aguiar foi expulso após jogar propositalmente uma bola no campo com o jogo em andamento. Por isso, ele está 180 dias suspenso.

O árbitro informou ainda ter sido comunicado pelo gerente de futebol do ASA, Marcelo de Jesus, que na chegada do estádio o ônibus com a equipe alagoana foi apedrejado por torcedores locais. Além disso, após o fim da partida, alguns torcedores invadiram o campo e um deles agrediu com um soco nas costas o camisa 11 alagoano Diogo.

Se passar pelo ABC neste domingo - tendo que devolver a derrota por 4 a 0 em Natal -, o Guarani cumprirá a punição na final, com portões fechados no estádio Brinco de Ouro. Caso seja eliminado, o clube teria que cumprir já na estreia da Série B no próximo ano. O time campineiro deve entrar com recurso para anular a decisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.