Guarani pode ficar sem Jadílson

O Guarani está prestes a ficar sem o lateral-esquerdo Jadílson. Sem dinheiro no caixa e muito menos para contratar, o clube já comunicou os procuradores do jogador que não dispõe dos US$ 2 milhões solicitados e que só pretende prorrogar seu empréstimo por mais um ano. O ex-zagueiro Wilson Gottardo, agora empresário, acha muito difícil que as partes cheguem num acordo. "Existe a necessidade de se vender, pelo menos, parte do passe", explicou Gottardo, que representa o lateral, um dos destaques do time dentro do Campeonato Brasileiro. Antes disso, no primeiro semestre, ele sagrou-se vice-campeão paulista pelo Botafogo de Ribeirão Preto. O procurador garante que já foi sondado por alguns outros clubes, mas não recebeu nenhuma proposta oficial. "Além disso, o Guarani tem a prioridade em qualquer tipo de negociação", completou. O gerente de futebol, Neto Ferreira, já antecipou que realmente o clube não dispõe de recursos para comprar o passe. "Nós propusemos reemprestá-lo", esclareceu. Este também é o interesse do clube sobre o meia Eduardo Marques, que ainda está vinculado ao Santos. O meia Fernando Fumagalli também aguarda uma definição sobre seu futuro, uma vez que parte do passe é do Guarani e outra do Santos. Além de dispensar oito jogadores, o Guarani acertou com dois jogadores. Um deles é o goleiro Ronaldo, ex-Corinthians, e que aguarda o acerto financeiro para assinar contrato. Outro é o zagueiro Aderaldo, do Londrina, que inclusive já assinou contrato durante a semana. Os jogadores estão de férias, enquanto a diretoria e a comissão técnica estão traçando planos para a disputa do torneio Rio-São Paulo, que começa em janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.