Guarani: problemas com Tribunal

Além da interdição preventiva do seu estádio, o Guarani enfrenta outros problemas no Tribunal de Justiça da CBF. O volante Otacílio está sendo acusado de ter agredido o árbitro Edílson Pereira de Carvalho no jogo contra o Palmeiras, dia 17 de outubro. Caso semelhante aconteceu com o volante Leandro Guerreiro, que teria agredido o juiz Luis Marcelo Vicentim Cansian no jogo contra o São Paulo, dia 20 de outubro. Os dois estão incursos no artigo 228, inciso III do CBDF - praticar vias de fato, agressão, contra árbitro ou auxiliares. E podem pegar pena de 60 a 360 dias. O técnico Jair Picerni, por ofensas morais e invasão ao campo no jogo contra o Palmeiras, também pode ser suspenso de 50 a 180 dias. Os julgamentos acontecerão na terça e quarta-feira da próxima semana. Os dois jogadores estão apreensivos. O técnico Jair Picerni tenta, sem muito sucesso, acalmar o elenco para o jogo contra o Santos. O time terá três desfalques: os expulsos Sangaletti e Gílson, além do meia Luís Fernando Martinez, com três cartões amarelos. O time deve ser definido após o técnico-tático previsto para esta sexta-feira no gramado do Brinco de Ouro. O Guarani perdeu seus últimos quatro jogos e despencou na tabela de classificação. Com 28 pontos, o time ainda pensa em buscar uma vaga na próxima fase do Campeonato Brasileiro. A diretoria não confirmou o fechamento de acordo com o Cruzeiro para a venda de Martinez. A direção do time mineiro já anunciou o acordo para a aquisição de 50% do atestado liberatório de Martinez pelo valor de US$ 550 mil e por um contrato de três anos. Caso haja um negócio para o exterior, no futuro, o Guarani também teria uma parte desta receita.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.