Guarani renova esperança na Sul-Americana

A vitória por 2 a 1 sobre o Paysandu, no domingo, em Campinas, deu um novo ânimo ao elenco do Guarani que, agora, está determinado a conquistar a vaga na Copa Sul-Americana. Mesmo com um retrospecto negativo fora de seu estádio, o time aposta na superação diante do Figueirense, em Santa Catarina, no próximo sábado, na despedida do Campeonato Brasileiro. "Enquanto existir a possibilidade, nós vamos acreditar e faremos de tudo para conquistar a vaga. Será o jogo de nossas vidas", avisou o técnico Barbieri. Tanto o Guarani quanto o Figueirense precisam da vitória para garantir a vaga na competição internacional. Os catarinenses, com 62 pontos e na 11ª posição, têm a situação mais cômoda, pois, dependendo de outros resultados, um simples empate poderá carimbar o passaporte. O grande problema dos campineiros, em 12º lugar com 61 pontos, fica para o jejum de 148 dias sem vencer fora do Brinco de Ouro da Princesa. A última vitória foi contra o São Caetano, por 2 a 0, no dia 13 de julho, no ABC Paulista, pela 18ª rodada. O elenco do Guarani retorna aos treinamentos somente na manhã da próxima quarta-feira. A única dúvida do técnico Barbieri deve ser sobre a entrada do meia Alex, que saiu de campo contundido. Antes da partida contra o Paysandu, um grupo de torcedores distribuiu um comunicado geral reivindicando a saída de alguns jogadores e do diretor de futebol Sidney Pavan. Eles pedem a cabeça do goleiro Jean; dos laterais Ruy, Patrício, Gilson e Paulo Henrique; dos zagueiros Bruno Quadros e Juninho; dos meias Leandro Guerreiro, Rafael, Esquerdinha e Marquinhos; e dos atacantes Rinaldo, Rodrigão e Creedence. A diretoria desconsiderou o protesto, considerando-o inoportuno e incoerente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.