Guarani terá novidades no Canindé

Com três novas opções à disposição, o técnico Jair Picerni, do Guarani, fará três mudanças para o jogo contra a Portuguesa, domingo à tarde, no Estádio do Canindé, em São Paulo, pela segunda rodada do Campeonato Paulista. O lateral-direito Alemão, o lateral-esquerdo Gílson e o atacante Nilson Sergipano estão com suas documentações regularizadas e devem jogar.Para que eles entrem, quem deve deixar o time são os laterais Adriano e Adílio, que não foram bem na estréia, além do atacante Evandro Roncatto.Picerni espera que o time apresente "uma leve melhora" na parte física e possa encarar o adversário em condições iguais, mesmo jogando no terreno inimigo. "O grupo é este aí mesmo, mas estamos sentindo muito a falta de preparo. Já avisei a turma de que, nesta hora, o que mais vale é a garra e a vontade de vencer", diz o técnico, esperançoso de que a auto-estima dos jogadores melhore . A base atual é a mesma que caiu para a Série B do Campeonato Brasileiro.Para Picerni, as vaias sofridas pelo time após o empate de 1 a 1, em casa, diante do União São João, "são normais", porque o time "precisa realmente reagir". Ele até achou que o Guarani escapou de perder em casa. "Até os 10 minutos do segundo tempo nós fomos bem e jogamos de igual para igual. Depois, sentimos, e quase perdemos", confirmou.O pior é que o time não pôde nem treinar nesta sexta-feira, inicialmente para se recuperar da estréia, e também devido às fortes chuvas que castigam a cidade. A idéia do técnico é comandar um tático neste sábado cedo para apenas "acertar alguns detalhes".O último reforço para este início de temporada é o lateral-esquerdo Adalto, ex-Palmeiras, mas que deixou o técnico preocupado: "Este rapaz chegou fora de medida", analisou de maneira engraçada o fato dos oito quilos a mais do contratado.A diretoria continua prometendo reforços, mas antes espera fechar uma parceria com o Atlético-PR para levantar recursos. O time campineiro cederia 50% do que receberia em caso de negociação de quatro jogadores, pelo valor de US$ 800 mil: os zagueiros Paulo André e João Leonardo, além dos atacantes Catatau e Evandro Roncatto. O nome do meia Luciano Ratinho, ex-Corinthians, ainda é o que parece mais próximo do Brinco de Ouro. O acerto com o atacante Kahê, do Palmeiras, ficou praticamente descartado após a Ponte Preta manifestar interesse no negócio. O meia Canindé, do Paraná, também está nos planos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.