Guarani vai ao STJD por incidentes no jogo do acesso na Série C e pode ser punido

Confusão aconteceu após o final da partida no estádio Brinco de Ouro

Estadão Conteúdo

10 Outubro 2016 | 19h58

Passada a euforia e festa pelo acesso no Campeonato Brasileiro da Série C, o Guarani tenta voltar à sua rotina. E com mais um problema. A súmula do último jogo, na vitória por 3 a 0 sobre o ASA, pelas quartas de final, consta irregularidades e que podem custar caro ao clube. O árbitro goiano Elmo Alves Resende Cunha relatou que um torcedor agrediu o meia Diogo, do time alagoano, dentro do gramado. A confusão aconteceu após o final da partida no estádio Brinco de Ouro, em Campinas (SP), que colocou o time campineiro nas semifinais.

O árbitro também relatou problemas na chegada do ônibus do ASA ao estádio e invasão de campo dos torcedores na comemoração. Apesar de nenhum torcedor ter sido identificado no relato, o árbitro contou com a ajuda de Douglas Katayama, fiscal da Federação Paulista de Futebol (FPF), para confirmar se houve ou não agressão. Diogo, autor e dois dos três gols do ASA na partida de ida, recebeu um soco nas costas do torcedor.

A súmula também conta com queixas de dirigentes do ASA sobre um apedrejamento ao ônibus do clube na chegada ao Brinco de Ouro. Um grupo de torcedores foi reprimido pelo policiamento, que usou, inclusive, bombas de gás. Como se não bastasse, o gandula Alexandre Batista de Aguiar foi citado por atirar uma bola em campo com o jogo em andamento aos 37 minutos do segundo tempo.

PROBLEMA EM 2015 - O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) irá analisar todos os fatos descritos pelo árbitro e poderá punir o Guarani pelos incidentes. Em 2015, o clube chegou a ser punido por dois jogos de suspensão com os portões fechados devido a manifestações violentas da torcida em uma partida contra a Portuguesa. Os jogos foram cumpridos no início desta temporada.

O presidente Horley Senna lamentou os incidentes e acha que houve algum tipo de falha na segurança. Prometeu apurar e acionar o departamento jurídico para tomar as providências necessárias para não atrapalhar o clube na reta final da Série C. Nas semifinais, o Guarani vai enfrentar o ABC, com primeiro jogo em Natal e o segundo em Campinas. As datas devem ser confirmadas nesta terça-feira pela direção de competições da CBF.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.