Guarani vai mudar esquema contra o Goiás

Sob o comando do técnico-interino Barbieri, o Guarani já será diferente diante do Goiás, domingo, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas. A principal mudança é no sistema tático, com o abandono do 3-5-2, usado por Pepe, para a volta do tradicional 4-4-2. A alteração também atende a preferência do gerente de futebol, Neto Ferreira, que garante nunca ter interferido no trabalho do ex-técnico. O time já começou a ser desenhado nos treinamentos. Paulão, que volta após suspensão, vai jogar ao lado de Bruno Quadros no meio da defesa. Gilson e Alex brigam por uma vaga na lateral-esquerda. No meio campo, Marquinhos, com lesão muscular na coxa direita, vai ficar fora do time, pelo menos, por três semanas. Em seu lugar deve ser fixado Simão. O volante Émerson, que também cumpriu suspensão, volta ao time, mas Leandro Guerreiro deve continuar como segundo volante. Fica aberta uma vaga no meio campo que pode ser ocupada por Esquerdinha. O time oficial, porém, só deve ser anunciado após o coletivo de sexta-feira. A diretoria tenta resolver alguns problemas extra-campo. Gílson, que quase se transferiu para a Rússia no mês passado, assinou um pré-contrato com o Trabzonspor, da Turquia. Mas ele disse que pretende continuar em Campinas e a diretoria está tentando evitar problemas futuros. Outro problema é com relação ao meia atacante Lúcio. Ele recebe R$ 50 mil por mês, mas metade deste valor vinha sendo pago pelo Cruzeiro, que tem vínculo com o atleta. O acordo, porém, acabou neste mês. A proposta do Guarani é continuar pagando só sua parte, ou seja, R$ 25 por mês. Com relação à vinda de Djalminha, o clube ainda mantém a expectativa. O jogador permanece no Rio de Janeiro e não deve mesmo continuar no La Coruña. Se resolver voltar para o Brasil a sua primeira opção é o time de Campinas.

Agencia Estado,

02 de julho de 2003 | 15h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.