Guarani vai receber R$ 800 mil da TV

A diretoria do Guarani está respirando aliviada. É que o clube poderá manter um planejamento financeiro para a temporada, a partir da verba garantida no Clube dos 13 referente às transmissões de televisão. O time terá uma receita entre R$ 670 mil a R$ 800 mil, suficiente para suprir a atual folha de pagamento do time profissional, que gira em torno de R$ 500 mil. Os valores que o clube terá direito foram definidos na reunião do Clube dos 13 realizada na última quinta-feira, no Rio. O próprio presidente José Luis Lourencetti confirmou que o clube terá uma cota mínima de R$ 670 mil mensais, embora haja a possibilidade deste valor chegar a 10 ou 15% a mais. Segundo a direção do clube, esta cota deve estabilizar as despesas do clube que viveu maus momentos nas últimas duas temporadas. Mas foi, justamente, neste período que o Guarani conseguiu se integrar ao Clube dos 13 e ganhar espaço político entre os maiores clubes do futebol brasileiro. Dentro desta previsão, clubes de representação parecida e que não participam da entidade ficam com cotas bem inferiores. É o caso da Ponte Preta, rival do Guarani, que receberia, segundo os cálculos iniciais, apenas R$ 290 mil por mês. Com base na receita, a direção já pensa em reformular o elenco para o Campeonato Brasileiro. Os planos começarão a ser traçados nesta quarta-feira. Pela manhã os jogadores se apresentam depois da folga de carnaval. O time se prepara visando o jogo contra o Vila Nova-GO, pela segunda fase da Copa do Brasil. O primeiro confronto será realizado em Goiânia, em data a ser definida pela CBF, provavelmente no dia 12 ou 13 de março.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.