Guarani x Ponte: o Dérbi da crise

O dérbi campineiro de número 180 entre Guarani e Ponte Preta, sábado, às 18 horas, no Estádio Brinco de Ouro, está sendo precedido por um clima de crise. É que os dois rivais começaram mal o Campeonato Paulista, perdendo seus jogos na terceira rodada, realizada quarta-feira. O Guarani perdeu para o União Barbarense, por 2 a 0, em Santa Bárbara d?Oeste, enquanto a Ponte perdeu em casa diante do Ituano, por 4 a 3.A situação mais delicada, sem dúvida, neste momento é da Ponte Preta que perdeu seus três primeiros jogos: diante de São Caetano (1 a 0), Santos (2 a 1) e Ituano (4 a 3). A torcida, inclusive, está ?pedindo a cabeça? do técnico Nenê Santana, mantido no cargo pela persistência da diretoria. Este jogo, porém, pode ser o derradeiro. "Sou funcionário do clube e estou mantido para o dérbi", diz Nenê Santana, lamentando a falta de sorte neste início de temporada. O gerente de futebol, Ronaldo de Jesus, confirmou as palavras do técnico: "O Nenê comandará o time no dérbi e a diretoria fará uma reunião na segunda-feira para decidir o seu futuro do clube na temporada."A irregularidade demonstrada nos primeiros jogos também deixou o Guarani em alerta. O time perdeu a invencibilidade diante do União Barbarense, mas antes já tinha empatado em casa com o União São João, por 1 a 1, quando deixou má impressão. De positivo, só a vitória, por 2 a 1, diante da Portuguesa. O que pode atrapalhar é o fato de que faz um ano e meio que o time não consegue vencer dois jogos seguidos. O técnico Jair Picerni não parece preocupado com este fato. "O que interessa agora é o dérbi. E não podemos nos iludir com esta conversa de que a Ponte está em baixa. Dérbi é sempre um jogo complicado", alerta o técnico, que na década de 70, comolateral direito, defendeu os dois clubes de Campinas.Times indefinidos - Como é de praxe na véspera de um clássico, os dois times estão indefinidos por seus técnicos. A princípio, ambos preferem aguardar o último treinamento, nesta sexta-feira, mas com certeza eles devem levar algumas dúvidas para até momentos antes do dérbi.No Guarani, o técnico Jair Picerni sofreu dois desfalques. O lateral-esquerdo Gilson e o volante Careca foram expulsos na derrota para o União Barbarense, por 2 a 0. Picerni até justificou a derrota por conta da indisciplina. Os prováveis substitutos serão Adílio na lateral e Serginho no meio campo. A comissão técnica vai comandar um tático-técnico nesta sexta-feira à tarde no Brinco de Ouro.Na Ponte Preta, até o momento, existe somente um desfalque: o volante Ângelo, que recebeu o terceiro cartão amarelo na derrota por 4 a 3 para o Ituano. Em seu lugar deve entrar Henrique. Mas o time deve sofrer outras mudanças, como a entrada de um terceiro zagueiro, no caso Luís Carlos, que cumpriu suspensão automática. Assim, o time trocaria o esquema 4-4-2 pelo 3-5-2. Além disso, o técnico Nenê Santana pode usar o meia Lindomar, recuperado de contusão. Outra alternativa viabilizada pela diretoria é o atacante Kahê, emprestado pelo Palmeiras, e que já teve seu registro regularizado. O técnico já avisou que vai levar suas dúvidas para "minutos antes do jogo".A venda de ingressos ainda é pequena. Estão reservados 12.300 bilhetes para os bugrinos e 4.700 para os ponte-pretanos. Haverá, como de costume, um esquema especial de trânsito e a segurança será realizada com cerca de 350 policiais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.