Guaratinguetá marca dois contra e empata contra a Ponte

Em Campinas, partida termina com igualdade em 2 a 2; os dois times ainda brigam pelo Título do Interior

Agencia Estado

29 de março de 2009 | 18h15

CAMPINAS - A Ponte Preta empatou com o Guaratinguetá, por 2 a 2, neste domingo à tarde, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, pela 17.ª rodada do Campeonato Paulista. Os dois gols dos donos da casa foram marcados pelo adversário, contra a própria meta.

Veja também:

tabela Campeonato Paulista - Classificação 

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

A partida também foi marcada por um lance inusitado do zagueiro Marinho. Dando uma de atacante, ele acertou duas vezes seguidas o travessão do goleiro visitante, numa meia bicicleta. "Estava de costas e tentei a bicicleta, quando vi que a bola estava voltando batei de novo. Infelizmente, a bola não entrou", lamentou Marinho.

O empate deixou a Ponte Preta com 21 pontos, em nono lugar, enquanto o Guaratinguetá, com 19 pontos, ocupa a 13.ª posição na tabela.

JOGO

A Ponte Preta começou melhor em campo, aproveitando a timidez do Guaratinguetá. O primeiro gol não demorou a sair, de forma estranha. Fabinho fez o cruzamento com pouca força, mas o zagueiro Edson Rocha, na tentativa de aliviar, errou o chute. A bola desviou em sua perna e tirou o goleiro Fernando do lance.

O time da casa, porém, sentiu muito a saída do atacante Leandrinho, que imprimia um ritmo veloz ao jogo. Ele sofreu uma pancada no joelho e acabou substituído por André. Aos poucos, o visitante cresceu e chegou ao empate aos 40 minutos. Nenê aproveitou a falha de marcação do lado direito do ataque, entrou na área e cruzou para o outro lado. Wellington Amorim, sozinho, cabeceou firme para empatar.

No segundo tempo, os dois técnicos fizeram várias alterações, mas ninguém conseguiu ganhar mais força ofensiva. A Ponte errou muitos passes, irritando a sua torcida, que elegeu o atacante Mexerica como seu principal alvo, por considerá-lo uma herança maldita do ex-técnico Sérgio Soares.

O Guaratinguetá, satisfeito com o empate, priorizou a marcação. E ainda virou o jogo aos 30, após cruzamento da direita e cabeçada firme de Rocha, que tinha entrado um pouco antes. O próprio Rocha empatou contra para a Ponte Preta, aos 39, quando tocou de cabeça após falta de Guilherme. Aos 45, Rocha, o personagem do jogo, foi expulso ao chutar deslealmente o garoto Tinga.

Nos últimos dois jogos, a Ponte Preta vai enfrentar o Botafogo, quinta-feira, às 21h50, e depois receberá o Santos, em Campinas. O Guaratinguetá enfrentará o São Paulo, no Morumbi, quinta-feira, às 15h45, e depois encerrará a sua participação na competição, em casa, diante do Oeste.

PONTE PRETA 2 X 2 GUARATINGUETÁ

Ponte Preta - Aranha; Guilherme, Marinho, Talles e Fabinho (Galvão); Deda, Bia (Gercimar), Tinga e Dener; Leandrinho (André) e Márcio Mexerica. Técnico: Marco Aurélio.

Guaratinguetá - Fernando; Ivo (Rocha), Edson Rocha, Nino e Jamur (Eduardo); Gil, Magal, Alê, Nenê e Fábio (Jean Batista); Wellington Amorim. Técnico: Márcio Araújo.

Gols - Edson Rocha (contra), aos 7, e Wellington Amorim, aos 40 minutos do 1.º tempo. Rocha, aos 30 e aos 39 (contra) do 2.º tempo.

Cartões amarelos - Guilherme, Fabinho, André, Talles, Deda, Dener (Ponte Preta); Ivo, Edson Rocha e Nenê (Guaratinguetá).

Cartões vermelhos - Rocha e César (no banco de reservas) (Guaratinguetá).

Árbitro - José Henrique de Carvalho.

Renda - R$ 15.454,00.

Público - 2.160 pagantes.

Local - Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.