Phil Noble/Reuters
Phil Noble/Reuters

Guardiola diz que eliminação do Manchester City foi 'cruel', mas pensa no Inglês

Citizens chegaram a marcar gol que daria classificação, mas VAR anulou tento de Sterling

Redação, Estadão Conteúdo

17 de abril de 2019 | 21h06

O técnico Pep Guardiola considerou "cruel" a eliminação do Manchester City, após a vitória, por 4 a 3, sobre o Tottenham, nesta quarta-feira, pelas quartas de final da Liga dos Campeões, em casa. O time havia perdido o primeiro confronto, em Londres, por 1 a 0 e caiu pelo critérios de gols sofridos como mandante.

"É difícil. É cruel, mas temos que aceitar. Foi uma partida agradável para todos, lutamos por 180 minutos. Depois de 20 minutos estávamos à frente por 3 a 2. Na segunda metade jogamos melhor, criamos muitas oportunidades de gol, perdemos muitas e fomos punidos. No final conseguimos marcar o gol que precisávamos, mas acabou anulado. Parabéns ao Tottenham, a quem desejo tudo de bom para as semifinais."

O espanhol aproveitou para elogiar a força vinda das arquibancadas. "Estou tão orgulhoso, especialmente pela reação dos torcedores. Nunca vi o estádio como nesta quarta-feira. Estamos tristes por todos eles, mas eles sabem que temos tudo, mas o futebol é imprevisível e, infelizmente, não estamos na próxima fase."

O treinador reclamou da atuação do VAR no gol de Llorente, o terceiro do Tottenham, que garantiu o rival na semifinal. ""Eu sou a favor do árbitro de vídeo, mas talvez o gol de Fernando Llorente visto de um lado é o bola na mão, e visto do lado do árbitro não é", declarou o treinador.

Ainda sobre a arbitragem, o técnico comentou sobre a decisão do árbitro de vídeo em anular o gol de Sterling, que seria o quinto e o da classificação para a semifinal, e aproveitou para criticar a não marcação e um pênalti na primeira etapa. "Eu vi a ação e quem estava na frente da tela decidiu que estava impedido. Não marcaram uma penalidade na primeira etapa, mas estou orgulhoso dos meus jogadores e dos torcedores."

Na briga pelo título inglês, Guardiola fez questão de alertar que a equipe não pode se abater com a eliminação. "Nós temos que reagir, mas não penso nisso agora. Vamos dormir o quanto for possível e, em seguida, vamos nos preparar para o jogo. Lutamos muito, nove, dez meses no Campeonato Inglês, e está em nossas mãos. É difícil, claro, mas é o que temos que fazer."

O Manchester City soma 83 pontos, contra 85 do Liverpool, que persegue um título do Campeonato Inglês desde 1990. O City tem um jogo a mais a realizar e vai ter novo confronto em casa com o Tottenham, para quem perdeu nas quartas de final da Liga dos Campeões, no sábado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.