Cath Ivill / EFE
Cath Ivill / EFE

Guardiola diz que Manchester City jogará com cinco desfalques por conta da covid

Técnico diz que queria que time jogasse contra o Everton, em partida que acabou adiada; Klopp pede que campeonato não pare

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de janeiro de 2021 | 16h36

A alta de casos de covid-19 entre atletas do futebol foi o principal tema das coletivas dos treinadores dos clubes do Campeonato Inglês antes da nova rodada do torneio. Por um lado, Pep Guardiola afirmou que o Manchester City enfrentará o Chelsea com cinco desfalques por conta do coronavírus; por outro, Jürgen Klopp, do Liverpool, pediu que o torneio não seja paralisado.

"Antes eram quatro casos, sendo dois jogadores. Agora são mais três. Acho que a Premier League não nos permite divulgar os nomes mas vocês saberão amanhã. Quando virem a lista de relacionados, verão que estarão faltando três jogadores importantes", disse Guardiola em entrevista coletiva.

O técnico catalão também falou sobre o adiamento da partida com o Everton na rodada anterior, afirmando que queria que o Manchester City jogasse, mas que havia risco de espalhar a doença. "Tínhamos jogadores suficiente para jogar, queríamos jogar, mas no dia do jogo, com mais casos, eu pessoalmente liguei para Ancelotti para explicar a situação. Se viajássemos, tendo estado em contato com nossos jogadores infectados, poderíamos infectar o time do Everton. Era um risco grande", afirmou.

Além da partida entre Manchester City e Everton, o jogo entre Tottenham e Fulham na quarta (30/12) também foi adiado por um surto de covid-19 - neste caso, no Fulham. O técnico do West Bromwich Albion, Sam Allardyce, pediu a interrupção do torneio até que os casos baixassem.

O Manchester City voltou aos treinos em seu CT na quarta-feira, 30/12, após uma nova bateria de testes não dar mais positivos. No Chelsea, Frank Lampard confirmou dois casos no departamento de futebol do clube, mas revelou que não eram jogadores. O jogo entre os dois times será neste domingo.

No Liverpool, que teve alguns casos isolados mas não um surto, o técnico Jürgen Klopp pediu que o torneio siga em frente. "É compreensível (ter preocupações), mas tentamos fazer tudo para manter os garotos o mais seguros possível e eu acho que a competição pode continuar. As pessoas querem assistir ao jogo e, neste caso, não fazemos parte da sociedade porque normalmente nos isolamos, vamos para um centro de treinamento e coisas do tipo, então eu realmente acho que podemos continuar", disse o alemão.

"Mas não sou um especialista e eu respeito todas as decisões que forem tomadas nas próximas semanas", completou Klopp. O Liverpool enfrentará o Southampton fora de casa na próxima segunda-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.