Guardiola elogia Wenger e joga pressão para o Arsenal na Liga dos Campeões

Líder do Grupo F, com duas vitórias em dois jogos, o técnico Josep Guardiola jogou a pressão para o Arsenal na véspera da partida do Bayern de Munique contra os ingleses, no Emirates Stadium, pela Liga dos Campeões. Ainda sem vencer e nem somar pontos, o Arsenal ocupa a lanterna da chave.

Estadão Conteúdo

19 de outubro de 2015 | 15h49

"Conhecemos um ao outro porque já enfrentei o Arsenal duas vezes pelo Barcelona e duas vezes pelo Bayern. Eles têm muita habilidade técnica, são adversários duros. Nesta situação, eles têm a vantagem [por jogar em casa]. E precisam vencer. Isso significa que vão tentar apresentar uma performance perfeita", avaliou o treinador do time alemão, nesta segunda-feira.

Para Guardiola, elogiar o Arsenal significa reconhecer o trabalho de longa data realizado pelo técnico Arsène Wenger. "Estar há 20 anos em um clube hoje em dia é impossível. Wenger não apenas um técnico, é um diretor esportivo. Ele é mais do que um técnico para este clube. Ele é quase tudo", exaltou o treinador.

Mais cedo, nesta segunda, Wenger lançou mão do seu histórico à frente do Arsenal para mostrar confiança na vitória inglesa na terça. "Nós jogamos com grandes equipes do Bayern antes, certamente tão boas quanto a equipe que vai jogar amanhã, e vencemos", pontuara o treinador.

A demonstração de confiança dele, contudo, não parece incomodar os jogadores do Bayern. "Nós vencemos os últimos dois jogos disputados aqui [no Emirates] e eu marquei nas duas vezes. Amanhã subirei ao gramado com boas memórias daqui", disse Thomas Müller.

O atacante, no entanto, admite que o Bayern terá dificuldade para repetir os últimos triunfos em Londres. "Estamos empolgados pelo jogo, mas sabemos que não será um passeio no parque", afirmou Müller. "Será um jogo complicado por causa da motivação do Arsenal. Eles sempre jogam bem em casa", reiterou o volante Xabi Alonso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.