Nigel Roddis/EFE
Nigel Roddis/EFE

Guardiola lamenta chances perdidas pelo City e diz que não ofendeu árbitro

"Criamos oportunidades de gol, mas é claro que não é fácil [marcar] porque eles tinham dez jogadores atrás da linha da bola"

Estadão Conteúdo

10 de abril de 2018 | 20h58

O técnico Josep Guardiola lamentou as chances perdidas pelo Manchester City diante do Liverpool, nesta terça-feira, e garantiu que não ofendeu o árbitro no duelo da volta das quartas de final da Liga dos Campeões. O time de Guardiola voltou a ser derrotado pelo rival inglês, desta vez por 2 a 1, e foi eliminado da competição que era o maior objetivo do City na temporada.

+ Klopp elogia Firmino e diz que Liverpool sobreviveu a 'furacão' contra o City

"Criamos oportunidades de gol, mas é claro que não é fácil [marcar] porque eles tinham dez jogadores atrás da linha da bola", comentou Guardiola, ao citar a retranca do Liverpool no primeiro tempo. "Eles têm um time duro, com um grande treinador. Eu diria que merecem uma vaga na final."

Após levar 3 a 0 no jogo de ida, o City impôs forte pressão ao Liverpool no primeiro tempo. A postura ofensiva rendeu um gol logo no primeiro minuto de jogo. Mas, depois disso, o visitante se defendeu bem. O City chegou a balançar as redes, mas o árbitro anulou o lance por impedimento.

Guardiola criticou a decisão e acabou sendo expulso de campo, pouco antes do intervalo. Ao fim da partida, ele negou ter proferido qualquer ofensa contra a arbitragem. "Eu não insultei o juiz. Disse apenas que foi gol porque a bola veio do Milner", disse o treinador.

Na jogada, o goleiro Karius saiu mal do gol. E, após espalmar, a bola acertou Milner e voltou contra as próprias redes. No meio do caminho, Sané fez desvio, em posição irregular. Para Guardiola, não houve impedimento porque a bola veio do jogador do Liverpool.

Eliminado da Liga dos Campeões, que era o grande objetivo do City, o treinador evitou lamentar a eliminação e preferiu valorizar a boa campanha do time ao longo da temporada. "Você não vai encontrar um time que consiga manter este momento positivo durante o curso de 11 meses", afirmou Guardiola, que lidera com folga o Campeonato Inglês.

"Tenho que analisar o que fizemos nos últimos dez meses, mas acho que foi muito bom. É difícil manter um ritmo elevado ao longo de tantos jogos. Isso é quase impossível", declarou o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.