Manu Fernandez/AP
Manu Fernandez/AP

Guardiola levou Barcelona a novo patamar, diz presidente

Joan Laporta comparou o atual elenco do técnico com o 'Time dos Sonhos' de Johan Cruyff, de 1990

Iain Rogers, Reuters

28 de maio de 2009 | 11h16

O "Time dos Sonhos" de Johan Cruyff do início dos anos 1990 estabeleceu as bases para o sucesso do clube nesta temporada, mas Pep Guardiola levou a filosofia do ex-técnico holandês a um novo patamar, afirmou o presidente do clube catalão, Joan Laporta.

Veja também:

especial ESPECIAL - Barcelona, de volta ao topo

video TV ESTADÃO - O título do Barcelona na final da Liga dos Campeões

mais imagens Galeria de fotos da final da Liga dos Campeões 08/09

Cruyff jogou no Barça em meados da década de 1970 e voltou como técnico em 1988, quando conduziu o time ao título europeu e a quatro conquistas consecutivas da liga espanhola com uma futebol ofensivo empolgante.

Guardiola, a peça chave do meio-campo daquele time, ofuscou a façanha de Cruyff logo em sua primeira temporada como treinador ao vencer a Liga dos Campeões, o Campeonato Espanhol e a Copa Rei, a primeira tríplice conquista de um time espanhol.

"Pep e os jogadores fizeram a melhor temporada da história do Barça e demonstraram que eles são o melhor time na história do Barça", disse o triunfante Laporta após o Barcelona ter derrotado o Manchester United por 2 x 0 na final da Liga dos Campeões, em Roma, na quarta-feira. "Temos de voltar ao 'Time dos Sonhos' de Johan e à forma como Johan transformou o futebol", acrescentou.

"Pep em um ano criou de fato um time genial. As raízes são a filosofia de Cruyff, mas ao mesmo tempo ele criou algo por ele mesmo."

Laporta afirmou que o melhor ainda está por vir e elogiou a decisão da diretoria do clube de nomear o inexperiente Guardiola, de 38 anos, como substituto de Frank Rijkaard, compatriota de Cruyff, ao final da temporada passada.

"Nós pensávamos que ele era a pessoa adequada para o cargo, e agora, com muito orgulho e felicidade, podemos dizer que tomamos a decisão certa", disse Laporta.

"Temos um técnico que dirige o time majestosamente, todos juntos com muito talento e qualidade, e acredito que ainda há um longo caminho a seguir."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.