Paul Childs / Reuters
Paul Childs / Reuters

Guardiola minimiza polêmica sobre estado do gramado de Wembley para jogo do City

Estádio vai receber um jogo da NFL no domingo e Tottenham x Manchester City na segunda-feira

Estadão Conteúdo

26 Outubro 2018 | 12h38

A polêmica sobre o estado do gramado de estádios de futebol após a realizações de eventos fora da modalidade não acontece apenas ao Brasil. Se clubes brasileiros como Palmeiras, Grêmio, Flamengo e Internacional podem sofrer em campo depois de shows musicais em suas arenas, o mesmo se pode dizer do lendário estádio de Wembley, em Londres, antes de um duelo importante pelo Campeonato Inglês entre Tottenham e Manchester City.

Neste domingo, Wembley será usado para a partida entre Jacksonville Jaguars e Philadelphia Eagles, pela NFL (a liga profissional de futebol americano). No dia seguinte acontecerá o confronto entre o atual quinto colocado, o Tottenham, que está apenas dois pontos atrás (23 a 21) do Manchester City, que ocupa a liderança do Campeonato Inglês.

O técnico do clube de Manchester, o espanhol Pep Guardiola, procurou minimizar a polêmica sobre como estará o gramado de Wembley para a partida de segunda-feira. "Não é necessário reclamar. Temos que nos adaptar rapidamente, tentar esquecer esse problema. Não vai estar perfeito (o gramado), mas temos que nos adaptar e jogar", disse em entrevista coletiva nesta sexta.

O jogo pela 10.ª rodada do Campeonato Inglês estava originalmente marcado para domingo, pois a ideia era que o novo estádio do Tottenham já estivesse pronto. No entanto, as obras atrasaram e a inauguração, que seria em setembro passado, ficaram para o final deste ano. Assim, o clube de Londres segue tendo Wembley como a sua casa, mas o jogo pela NFL já estava agendado para o estádio neste domingo.

"Estou certo que a Premier League (organizadora do Campeonato Inglês) não está gostando disso e o Tottenham, também. Mas felizmente o Tottenham conseguirá terminar o seu estádio o mais rápido possível", completou Guardiola.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.