Guardiola promete colocar Barcelona no ataque em Madri

O Barcelona recebe o Osasuna neste sábado, pela 33ª rodada do Campeonato Espanhol, mas o pensamento já está voltado para o clássico de quarta-feira, contra o Real Madrid, pelas semifinais da Liga dos Campeões da Europa. Na entrevista coletiva desta sexta, por exemplo, o técnico Guardiola falou mais do Real do que do Osasuna. E prometeu que o Barça irá manter seu estilo ofensivo mesmo jogando na casa do rival.

AE, Agência Estado

22 de abril de 2011 | 11h46

O clássico de quarta-feira, no Estádio Santiago Bernabéu, em Madri, será o terceiro da série de quatro seguidos entre os dois rivais. No primeiro, válido pelo Campeonato Espanhol, o Barcelona empatou por 1 a 1 na casa do adversário e manteve a sua vantagem folgada na liderança - está muito perto do título. No segundo, o Real venceu por 1 a 0 na prorrogação e foi campeão da Copa do Rei. Agora, começa o duelo pela Liga dos Campeões, sendo que o jogo de volta, no Camp Nou, está marcado para o dia 3 de maio.

Ao fazer um balanço da final da Copa do Rei, realizada na última quarta-feira, em Valência, Guardiola disse que tem "muito pouca coisa" para mudar no Barcelona, porque entende que seu time fez um segundo tempo e uma prorrogação "espetaculares". E aproveitou para defender o atacante David Villa, que já soma 11 jogos sem marcar gols. "Ele é um jogador vital, fundamental e insubstituível para nossa equipe", elogiou o treinador.

Sobre o próximo encontro com o Real, Guardiola disse que não vai mudar o estilo de jogo do Barcelona por causa de uma derrota ou por jogar na casa do adversário. "Entendo o futebol desse jeito e, enquanto estiver aqui, será assim. Quero que o time ataque e jogue melhor. É isso que transmito aos jogadores", avisou o treinador. "No Bernabéu, vou atacar e fazer gols. Esse é o plano."

Mas, antes de encarar o Real na próxima quarta-feira, Guardiola lembrou da importância do jogo contra o Osasuna. Segundo ele, o Barcelona precisa superar o trauma de ter perdido o título da Copa do Rei e mostrar "reação" no duelo deste sábado, quando espera conseguir outra vitória e se aproximar ainda mais do título do Campeonato Espanhol. "Se os jogadores estão tristes, eles precisam correr mais e, assim, a dor passará", afirmou o treinador.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBarcelonaGuardiola

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.