Guardiola reconhece o empenho defensivo da Inter

Conhecido nos últimos anos pelo seu futebol ofensivo, o Barcelona foi vencido nesta quarta-feira pela defesa aplicada da Internazionale de Milão. Mesmo ganhando por 1 a 0 no Camp Nou, o time catalão acabou fora da decisão da Liga dos Campeões porque perdeu por 3 a 1 na Itália. Após a eliminação, o técnico Josep Guardiola reconheceu o empenho que o adversário teve para segurar o seu time.

AE, Agência Estado

28 de abril de 2010 | 20h38

"Eu sei que somos o Barça, mas quando nove jogadores estão defendendo dentro da área não é fácil. Às vezes atacar é muito mais difícil do que defender. Nós tentamos, mas eles se defenderam bem", admitiu Guardiola. "Não vamos procurar desculpas. Cada jogador, cada técnico e cada time joga da maneira como quer, e não cabe a mim julgar", fez questão de ressaltar o treinador.

Campeão em 2009 com o próprio Barça, Guardiola lamentou que neste ano a equipe catalã não tenha tido a mesma sorte. "Ano passado as coisas funcionaram a nosso favor, desta vez elas foram contra nós", comentou o técnico, que viu seu time se classificar à final no ano passado com um gol nos acréscimos, contra o Chelsea. "A decepção é grande. Nas semifinais tudo se resume aos pequenos detalhes."

Curiosamente, Guardiola apontou a expulsão do brasileiro Thiago Motta como determinante para a eliminação da equipe catalã dentro de casa. Ainda aos 23 minutos de jogo, o volante deixou a Inter com um a menos. "Eu acho que se eles tivessem permanecido com 11 jogadores, eles teriam jogado de uma forma um pouco diferente", alegou.

O zagueiro Gerard Piqué, autor do gol solitário do Barça no Camp Nou, concordou com o seu comandante. "Nós estávamos jogando calmamente e do jeito certo no primeiro tempo, até que eles ficaram com dez jogadores. Daí em diante nós ficamos muito ansiosos para marcar", explicou o defensor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.